Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

VACINA

Peru negocia compra de vacinas contra a Covid-19

Por: AFP

Publicado em: 27/12/2020 08:43

O país registra mais de um milhão de contágios (Foto: ERNESTO BENAVIDES / AFP

)
O país registra mais de um milhão de contágios (Foto: ERNESTO BENAVIDES / AFP )

O Peru, um dos países com maior mortalidade pela Covid-19, encerrará o ano com acordos prévios e um contrato em negociação com laboratórios para a compra de vacinas contra o novo coronavírus, informou o governo neste sábado (26). "O que temos são acordos vinculantes com três entidades diferentes e um contrato em negociação neste momento" para conseguir a vacina, disse à rádio RPP a ministra da Saúde, Pilar Mazzetti, que não detalhou o conteúdo destes acordos, nem quais organizações ou laboratórios estão envolvidos.

Sem mencionar datas, Mazzetti assegurou que a vacinação no ano que vem no país que registra mais de um milhão de contágios "está bem orientada" para acontecer. "É importante que todos saibamos que há muita incerteza" sobre o tema das vacinas, disse Mazzetti. A ministra disse que em nível internacional estão prontas as aprovações para as vacinas da Astrazeneca e da Sinopharm, que poderiam ser consideradas por países como o Peru.

"Os países que estão vacinando receberam pequenas quantidades do que seria a vacinação global, como prova de sua vacinação. Era o que nós queríamos ter em dezembro, mas isso não foi possível", lamentou. A funcionária admitiu que durante as negociações com o laboratório Pfizer para a compra de 9,9 milhões de vacinas, surgiram aspectos "que não estavam previstos" e que não especificou.

No entanto, disse que "não foram rompidas as relações" com essa farmacêutica. "Com a Pfizer temos que ajustar alguns aspectos do contrato", afirmou. O Peru decretou em 18 de dezembro o caráter gratuito e universal da vacina contra a Covid-19 "para todos os habitantes".

O país é um dos mais afetados na região pela pandemia, com mais de 37.368 mortos e 1.005.546 contagiados até a sexta-feira. O governo anunciou nesta semana novas restrições a vigorar durante o Natal e o Ano Novo para evitar aglomerações e um crescimento dos contágios. A economia peruana está em recessão, em consequência do confinamento obrigatório de mais de cem dias, que paralisou parcialmente as atividades produtivas. Estima-se para este ano um recuo de 12,5%.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
De 1 a 5: como as mudanças no WhatsApp afetam sua privacidade
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 25/01
Enem 2020: professores do Colégio Núcleo comentam ao vivo as provas deste domingo
Verão inspira cuidados com a saúde e alimentação
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco