Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

MUNDO

O importante papel de Kamala Harris na eleição de Joe Biden

Publicado em: 07/11/2020 15:25

 (Foto: Mark Makela / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)
Foto: Mark Makela / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
Kamala Harris, se torna a primeira mulher negra e de ascendência asiática a assumir a Vice-Presidência dos EUA. Joe Biden convidou a senadora pela Califórnia para ser sua companheira de chapa em 11 de agosto. Kamala era considerada por assessores próximos ao democrata uma escolha óbvia entre as várias políticas negras que foram cotadas e entrevistadas para ocupar a vaga.
 
Biden já tinha deixado claro, ainda em março, que escolheria uma mulher para ser a sua vice, e o cenário dos protestos antirracismo que tomaram o país depois do assassinato de George Floyd fizeram com que a escolha para a representação da população negra nos EUA se fazia necessária ao seu lado.
 
Kamala é senadora desde 2017, e aos 56 anos, já foi procuradora na Califórnia no período de 2004 a 2011 e concorreu pela nomeação democrata à Presidência dos EUA, inclusive contra Biden, com quem teve um embate forte em junho de 2019. Incluisve acusou o ex-vice-presidente, durante um debate, de ter trabalhado com políticos racistas e ser contrário ao fim da segregação racial nas escolas, na década de 1970.
  
Kamala nasceu em Oakland, na Califórnia, é filha de imigrantes -uma pesquisadora da Índia e um professor da Jamaica-, costuma dizer que, quando ficava chateada ou irritada com qualquer assunto, sua mãe a incentivava a pensar em como agir.
 
Decidiu graduou-se em direito na Universidade Howard, em Washington, a melhor entre as instituições de ensino superior dedicadas a estudantes negros nos EUA. "Fui criada para entrar em ação", diz Kamala em um dos vídeos de campanha.
  
Antes de ocupar a posição de vice, Kamala já estava cotada para ser a próxima candidata democrata para a Presidência dos EUA, em 2024. Joe Biden tem se colocado como um líder de transição – ele já terá 82 anos no final de seu mandato e será o presidente mais velho dos EUA a tomar posse, em janeiro.

Kamala deve ser também muito importante na relação entre Brasil e EUA. No ano passado, defendeu que os americanos suspendessem qualquer negociações comerciais com os brasileiros por causa da falta de comprometimento do presidente Jair Bolsonaro com a Amazônia.
 
"Enquanto a Amazônia queima, o presidente do Brasil, como Trump, que permitiu que madeireiros e mineradores destruíssem a terra, não está agindo", "Trump não deve buscar um acordo comercial com o Brasil até que Bolsonaro reverta sua política catastrófica e resolva os incêndios. Precisamos de liderança americana para salvar nosso planeta.", se pronunciou Kamala no Twitter. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Entrevista com o governador Paulo Câmara
Um milhão de doses da CoronaVac chegam em São Paulo
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 03/12
Vídeo mostra confusão envolvendo agentes da CTTU em Santo Amaro
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco