Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

DIPLOMACIA

França condena posição da Turquia sobre o conflito em Nagorno-Karabakh

Publicado em: 30/09/2020 14:27

Presidente francês, Emmanuel Macron (Foto: Patrick Kovarik/AFP)
Presidente francês, Emmanuel Macron (Foto: Patrick Kovarik/AFP)
O presidente da França, Emmanuel Macron, se manifestou em relação às declarações da Turquia sobre o conflito armado na região de Nagorno-Karabakh, afirmando que são  carregadas de retórica de guerra. "Reparei nas declarações políticas da Turquia a favor do Azerbaijão, que acredito serem precipitadas e perigosas. Vou falar com o presidente da Rússia, Vladimir Putin hoje (30) e, talvez, com o presidente dos EUA, Donald Trump amanha%u0303 (1º), sobre este assunto, para que possamos discutir ideias e achar uma solução para sair desta crise", anunciou o presidente francês na coletiva de imprensa em Riga, capital da Letônia.

Enquanto isso, o Ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, garantiu que Ancara irá fazer tudo o que for necessário se o Azerbaijão pedir apoio militar. Nesta quarta-feira (30), o chanceler também disse que se o presidente Macron não se preocupa com a situação dos territórios azeris, então sua solidariedade com a Armênia significa suporte à ocupação.

Segundo o Ministério da Defesa da Armênia, os militares do Azerbaijão transferiram neste momento o comando da ofensiva aérea na região de Nagorno-Karabakh à Turquia. 

O chanceler turco voltou a reiterar seu posicionamento e assegurou que Ancara estará pronta para suportar o Azerbaijão durante o conflito. "Queremos que o assunto sobre Nagorno-Karabakh se resolva o mais cordialmente possível. Temos nos emprenhado muito para que isso aconteça, mas foi tudo em vão. Estivemos sempre do lado do Azerbaijão – tanto no campo de batalha como na mesa de negociações. Vamos continuar com nossa solidariedade", disse Cavusoglu, acrescentando mais uma vez que a ocupação de territórios azeris pela Armênia e%u0301 inaceitável.

Além disso, o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, revelou que seu país vai readquirir sua integridade territorial em Nagorno-Karabakh, território de litígio entre o Azerbaijão e a Armênia. Em um encontro com os feridos do conflito num hospital em Baku, o líder azeri declarou: "A Armênia deve renunciar à sua polícia de ocupação. Nós só temos uma condição para a paz, as Forças Armadas da Armênia deverão em sua totalidade rapidamente sair de nossas terras. Esta condição está valendo e se o governo da Armênia a cumprir, os embates cessarão, o sangue deixará de ser derramado e será estabelecida a paz na região. Nós queremos a paz e a solução do conflito.", afirmou. De acordo com Aliyev, ele deu ordens para seus militares não tomarem nenhuma medida contra a população civil da Armênia, entretanto, garantiu que está pronto para resolver as diferenças com a Armênia pela força.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Luta por representatividade: candidatas negras tentam reescrever a história
Resumo da semana: segunda onda da pandemia, drones na eleição e campanha sem aglomeração
Rhaldney Santos entrevista João Paulo (PCdoB)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco