Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

DIPLOMACIA

Conflitos armados entre Armênia e Azerbaijão se intensificam e Turquia diz que ocupação armênia precisa terminar

Publicado em: 28/09/2020 15:51

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu o fim da ocupação da Armênia no Azerbaijão (Foto: AFP)
O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu o fim da ocupação da Armênia no Azerbaijão (Foto: AFP)
O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou nesta segunda-feira (28), durante ser discurso no Simpósio sobre Direito Marítimo Internacional, em Istambul, que o setor diplomático dos Estados Unidos, Rússia e França e Rússia não foram capazes de solucionar o conflito entre Armênia e Azerbaijão pela posse da região de Nagorno-Karabakh. "Chegou à hora de acabar com a ocupação armênia, chegou à hora de responsabilizá-la. Caso contrário, a Armênia continuará fazendo tudo o que quiser. Ela deve se retirar dos territórios ocupados. Todo mundo sabe que essa terra é do Azerbaijão", anunciou.

O porta-voz do Ministério da Defesa da Armênia informou que “conflitos intensos” entre a Armênia e o Azerbaijão continuaram durante toda esta madrugada. Segundo autoridades locais, os conflitos teriam deixado mais 15 militares armênios mortos, totalizando 32 baixas militares e mais de 100 feridos. No último domingo (27), os dois países iniciaram hostilidades em escala sem precedentes desde 1994, gerando instabilidade na região sul do Cáucaso, importante corredor de gasodutos que abastecem petróleo e gás aos mercados globais.

O líder turco já tinha se pronunciado anteriormente sobre seu apoio ao Azerbaijão na disputa.  Em contrapartida, os EUA, Rússia e a União Europeia se posicionaram, pedindo o término das tensões e hostilidades, a fim de dar início às negociações entre as partes para resolver o impasse. "Durante quase 30 anos, a chamada troika de Minsk, composta por Rússia, França e Estados Unidos, não conseguiu resolver esse problema. Eles fizeram o possível para não resolver esse problema. E agora eles querem ensinar o que fazer, e às vezes chegam até a fazer  ameaças. As terras ocupadas são terras do Azerbaijão. O Azerbaijão, querendo ou não, foi forçado a resolver este problema sozinho”, afirmou Erdogan. Além disso, Erdogan também rechaçou as noticias de que os militares turcos estão fornecendo apoio direto aos azerbaijanos. "Eles nos perguntam se há militares turcos na região de Karabakh, se a Turquia está fornecendo armas. Os que perguntam isso enviaram milhares de caminhões com armas para o norte da Síria", disse Erdogan, referindo-se ao suporte norte-americano às forças curdas na Síria, consideradas como organização terrorista por Ancara. "São aqueles que estão redesenhando o norte da Síria, construindo lá bases militares. São aqueles que criam a ilegalidade na Síria com as forças da coalizão", finalizou o governante turco.
 
Entenda o conflito de Nagorno-Karabakh 
O conflito entre Armênia e Azerbaijão começou em 1988, quando a Região Autônoma de Nagorno-Karabakh anunciou sua independência da República Socialista Soviética do Azerbaijão. Na ocasião, o Azerbaijão perdeu o controle sobre Nagorno-Karabakh no confronto armado. Em 1992, países da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), liderados por Rússia, Estados Unidos e França, conduziram as negociações de paz.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista João Campos (PSB)
Rhaldney Santos entrevista o engenheiro Celso Cunha
Rhaldney Santos entrevista Victor Assis (PCO)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #177 - Peixeis ósseos e cartilaginosos
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco