Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

CONFLITO

Bombardeios de Israel na Síria deixam 11 mortos, a maioria combatentes pró-regime

Por: AFP

Publicado em: 01/09/2020 07:20

 (Foto: JALAA MAREY / AFP)
Foto: JALAA MAREY / AFP
Três soldados sírios, sete milicianos pró-Irã e um civil morreram nos bombardeios executados pelo exército israelense na Síria, informou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Os bombardeios tiveram como alvos posições do exército sírio ao sudoeste de Damasco e de grupos pró-Irã, incluindo o Hezbollah libanês, na província de Deraa (sul).

Uma mulher síria, três militares sírios e sete milicianos estrangeiros, que integravam as milícias pró-Irã que lutam na Síria, faleceram nos bombardeios, afirmou à AFP Abdel Abdel Rahmane, diretor do OSDH, que não indicou se entre as vítimas estavam combatentes do Hezbollah.

A agência oficial síria Sana, que citou uma fonte militar, afirmou que o "inimigo israelense apontou para a região sul com mísseis e nossa defensa antiaérea respondeu".

A agência explicou que os disparos eram procedentes das colinas de Golã, ocupadas por Israel, e informou que dois soldados morreram, assim como uma mulher e sete milicianos ficaram feridos.

Desde o início em 2011 do conflito na Síria, Israel executou centenas de bombardeios contra as forças do regime, mas também contra seus aliados: Irã e o Hezbollah libanês.

Israel, que não confirma suas operações na Síria, repete que não permitirá que este país se transforme em uma base de Teerã.

Este foi o segundo incidente do este tipo em agosto.

No dia 3 do mês passado, Israel reivindicou bombardeios na província de Quneitra, em represália por tentativas de instalação de bombas de fabricação caseira ao longo da fronteira com a Síria.

Em 20 de julho, cinco combatentes pró-Irã, incluindo um membro do Hezbollah, faleceram em bombardeios israelenses no sul de Damasco, segundo o OSDH.

No domingo, o líder do Hezbollah, Hasan Nasrallah, advertiu que seu movimento mataria um soldado israelense por cada membro do grupo morto por Israel, dando a entender que ainda não vingou a vítima do bombardeio de 20 de julho.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #162 Anelídeos: segmentação corporal e parapódios
De 1 a 5: Dicas para a sua bicicleta ser seu transporte diário
Ministério da Saúde autoriza volta parcial da torcida na Série A
Resumo da semana: acidente em Boa Viagem, aulas liberadas e reinauguração do Geraldão
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco