Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Mundo

UNIVERSIDADES

Harvard e MIT vão à Justiça para evitar que alunos sejam deportados dos EUA

Publicado em: 09/07/2020 08:27

 (Foto: AFP)
Foto: AFP
Dois dias depois de a ICE — agência de imigração e fiscalização aduaneira dos Estados Unidos —, divulgar diretrizes ameaçando deportar estudantes estrangeiros com aulas em formato virtual, por conta da pandemia do novo coronavírus, a Universidade de Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) decidiram processar o governo norte-americano. As duas das mais renomadas instituições de ensino dos EUA solicitaram na Justiça a anulação das medidas e impetraram a ação conjunta na Corte Distrital de Boston, no estado de Massachusetts, onde estão sediadas. Segundo as diretrizes, os alunos terão de se transferir para instituições que ofereçam aulas presenciais ou enfrentarão a expulsão do país.

O presidente Donald Trump, por sua vez, referiu-se à ação judicial como “ridícula” e avisou que cortará as verbas dos estabelecimentos educacionais federais, caso não retomem as aulas antes do outono (primavera no Hemisfério Sul). “Na Alemanha, na Dinamarca, na Noruega, na Suécia e em muitos outros países, as escolas estão abertas. Os democratas pensam que pode ser ruim politicamente para eles se as escolas dos EUA abrirem antes das eleições de novembro, mas é algo importante para as crianças e as famílias. Posso cortar o financiamento se não abrirem!”, escreveu em seu perfil no Twitter.

“Parece-me importantíssima e oportuna a reação de Harvard e do MIT”, admitiu ao Correio a mexicana Valeria Mendiola, 26 anos, mestranda em administração pública e desenvolvimento internacional da Faculdade de Governo da Universidade de Harvard. “A única questão que me preocupa é o fato de que as universidades deveriam avaliar outras alternativas ao mesmo tempo, caso o processo na Justiça não seja favorável aos estudantes internacionais.” Valeria ainda não sabe qual decisão tomar, caso as diretrizes da ICE sejam cumpridas, teme ser deportada e perder bolsas de estudo. Em relação à ameaça de corte de verbas, feita por Trump, a mestranda vê uma jogada política. “O presidente está mostrando todas as suas cartas. Caso ele interrompa o financiamento das universidades, estou segura de que haverá mais processos judiciais, a fim de evitar que isso ocorra. E ocorrerá continuamente até as eleições de novembro”, disse Valeria.

Por meio de um comunicado, Lawrence S. Bacow, presidente da Universidade de Harvard, declarou que o processo na Justiça tem por objetivo uma ordem de restrição temporária que proíba a execução das diretrizes da ICE. “Nós prosseguiremos vigorosamente com este caso para que nossos estudantes internacionais possam continuar com os estudos sem a ameaça de deportação”, comentou. “Para muitos de nossos estudantes internacionais, estudar nos EUA e em Harvard é a realização do sonho de toda uma vida. Não vamos esperar que os sonhos de nossos estudantes internacionais sejam extintos por uma decisão profundamente equivocada.”

Presidente do MIT, L. Rafael Reif disse que o anúncio da ICE “interrompe a vida dos estudantes internacionais e põe em risco as atividades acadêmicas e de pesquisa” da instituição. “A ICE é incapaz de oferecer as mais básicas respostas sobre como sua política será interpretada ou implementada”, criticou. “Nossos estudantes internacionais têm muitas dúvidas — sobre seus vistos, sua saúde, suas famílias e sua capacidade de seguir trabalhando rumo ao diploma do MIT. A força do MIT está em suas pessoas, não importa de onde venham.”
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
Líbano contabiliza mortos, feridos e prejuízos
Rhaldney Santos entrevista a pré-candidata à prefeitura do Recife  Isabella de Roldão
Comerciantes de praias do estado protestam em frente ao Palácio
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco