Diario de Pernambuco
Busca

INDÚSTRIA

Lula sanciona depreciação acelerada na próxima terça, diz Alckmin

O vice-presidente discursou nesta sexta-feira (24) na inauguração da fábrica de etanol de segunda geração da Raízen, em Guariba, São Paulo

Publicado em: 24/05/2024 18:21


Alckmin defendeu ainda a inclusão do combustível sustentável da aviação, o Saf, no PL dos "combustíveis do futuro", que tramita no Senado  (foto: Ed Alves/CB/DA.Press)
Alckmin defendeu ainda a inclusão do combustível sustentável da aviação, o Saf, no PL dos "combustíveis do futuro", que tramita no Senado (foto: Ed Alves/CB/DA.Press)

O vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Mdic), Geraldo Alckmin, afirmou nesta sexta-feira (24) que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai sancionar a Lei da Depreciação Acelerada na próxima terça-feira (28).

 

A medida, aprovada pelo Congresso Nacional no fim de abril, concede um incentivo tributário para a renovação de máquinas e equipamentos na indústria. Empresas poderão abater em dois anos, em vez dos 15 atuais, o valor de novas aquisições do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

 

"Na terça feira, o presidente assina a Lei da Depreciação Acelerada para estimular a modernização das fábricas, equipamentos", declarou Alckmin durante solenidade para inaugurar fábrica de etanol de segunda geração da Raízen em Guariba, São Paulo.

 

Durante a semana, o vice-presidente falou em diversos eventos que a medida será sancionada na semana que vem, mas foi a primeira vez que ele citou a data. Alckmin também embarca na semana que vem para a China, onde participa de reunião anual da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban).

 

 

Combustíveis do futuro

 

O vice-presidente elogiou a planta inaugurada, que classificou com um exemplo da Nova Indústria Brasileira (NIB). "O que o mundo produz de etanol de segunda geração, aqui é produzido em 30 dias. O maior complexo do mundo", frisou.

 

Alckmin citou ainda o PL 528/2020, dos "combustíveis do futuro", enviado ao Congresso pelo governo federal e aprovado na Câmara. O relator do texto, deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP), também estava presente na solenidade. O vice-presidente defendeu, em seu discurso que a matéria inclua o combustível sustentável da aviação (Saf, na sigla em inglês).

 

"Ali, falta o Saf, para trocar o querosene de todos os aviões do mundo. O caminho para isso é o etanol de segunda geração", reforçou.

 

Participaram também da inauguração, além do presidente Lula, os ministros Alexandre Silveira (Minas e Energia), Márcio França (Empreendedorismo), Renan Filho (Transportes) e Paulo Teixeira (Desenvolvimento Agrário), além do presidente da Raízen, Ricardo Mussa, e o presidente do Conselho da Raízen, Rubens Ometto.

 

 

Confira as informações no Correio Braziliense

MAIS NOTÍCIAS DO CANAL