Diario de Pernambuco
Busca

Economia

Desemprego é maior preocupação das famílias do Grande Recife

O desemprego é apontado por 83,5% da população como o maior problema econômico enfrentado pelas famílias. O recorte faz parte da pesquisa integrada, divulgada nesta segunda-feira (25), no Recife, durante a edição metropolitana do Seminário Pernambuco em Desenvolvimento, realizado pelo Instituto Exatta.

Publicado em: 25/09/2023 18:43 | Atualizado em: 25/09/2023 22:50

Levantamento foi realizado pelo Instituto Exatta e apresentado no Seminário Pernambuco em Desenvolvimento ( Instituto Exatta/Divulgação)
Levantamento foi realizado pelo Instituto Exatta e apresentado no Seminário Pernambuco em Desenvolvimento ( Instituto Exatta/Divulgação)

O desemprego é apontado por 83,5% da população como o maior problema econômico enfrentado atualmente pelas famílias. O recorte faz parte da pesquisa integrada, divulgada nesta segunda-feira (25), no Recife, durante a edição metropolitana do Seminário Pernambuco em Desenvolvimento, realizado pelo Instituto Exatta. Os dados, coletados pelo Exatta, envolvem eixos temáticos que cobram maiores investimentos também em áreas como infraestrutura, mobilidade, transporte público, saúde, educação, segurança, entre outros. 

No ranking estimulado, com até duas opções de escolha entre o público entrevistado, ainda figuram a desigualdade de renda, com 51,6%; a alta inflação, com 22,1%; e as dificuldades de acesso ao crédito com menor taxa de juros, assinalado por 9,3%. "Precisamos chamar a atenção para duas estratégias em caminhos paralelos. A primeira que vai tratar dos gargalos que já estão identificados. A outra diz respeito à preparação para os desafios do futuro, fatores que estão amadurecendo e onde já é possível perceber impactos no desenvolvimento da região", explica o economista Sérgio Buarque, especialista em planejamento estratégico. 

Ele aponta ainda o déficit na capacitação profissional como um dos agravantes. A transição digital, com o aporte de novas tecnologias, apesar de bem-vinda como instrumento facilitador, acaba também resultando na relação de substituição do homem pela máquina. "Temos como fato recente, um exemplo bem emblemático, com a quase extinção da profissão de cobrador de ônibus. Nos deparamos com uma categoria inteira, com milhares de pessoas, que não se prepararam e hoje amargam a falta de ocupação", diz Buarque, que complementa: "Dados alertam que, no ensino público, apenas 6% dos jovens que concluem o Ensino Médio têm proficiência em matemática, informática e idiomas, por exemplo. Isto quer dizer que 94% deles não vão ter condições de se preparar para as profissões do futuro", destaca. 

O cenário faz parte da realidade da ajudante de cozinha Raquel Pinho, 42 anos, residente em Paulista, no Grande Recife. Já acumulando mais de dois anos de desemprego, ela conta que se depara com muitas portas fechadas, em razão da ausência de aprimoramento. "Boa parte das empresas exigem vários cursos e ainda esperam uma habilidade grande com o uso de máquinas e computadores, isso dificulta quem mais precisa", desabafou, lembrando que no momento está fazendo parte de um processo seletivo em uma grande indústria, depositando esperança na convocação. 

Nesta seara fabril, a pesquisa indicou que as cidades de Itapissuma, Ipojuca e Goiana foram as que apresentaram os números mais altos de industrialização no VAB (Valor Adicionado Bruto). O índice refere-se ao que cada setor da economia (agropecuária, indústria e serviços) acresce ao valor final de tudo que foi produzido em uma região. 

Ademais, a baixa na renda tem reflexo direto na qualidade de vida e bem-estar, conforme a consulta. Em meio aos tópicos elencados, o orçamento médio que os cidadãos abordados informaram conseguir destinar para o lazer em família apresentou valores considerados baixos pelos especialistas. Cerca de 23,5%, disseram que a quantia não ultrapassa R$ 100 mensais; 35,1%, até R$ 300; 18,8%, até R$ 500 e; apenas, 13% relataram que conseguem margear a faixa de R$ 1 mil. 

Entre as perspectivas futuras para projetos de impacto, o encontro também debateu obras estruturais como o Arco Metropolitano, ligando Goiana a Suape; a ampliação do Aeroporto dos Guararapes, com a consolidação do seu eixo logístico; a construção da Ferrovia Transnordestina; a ampliação do Porto de Suape e a conclusão da Refinaria Abreu e Lima. "As informações que estamos trazendo jogam luz para que a iniciativa pública e privada possam fazer uma reflexão geral sobre Pernambuco, com informações capazes de nutrir a construção de projetos e inicitativas", afirmou Tonico Araújo, presidente da Exatta, à frente do levantamento quantitativo.

O seminário ainda vai percorrer as regiões da Zona da Mata, em Vitória de Santo Antão; do Agreste, em Caruaru; e o Sertão, com Serra Talhada e Petrolina.

Procurada pelo Diario, a Secretaria de Desenvolvimento Profissional e Empreendedorismo de Pernambuco (Sedepe) informou, em nota, que tem desempenhado esforços para impulsionar a colocação de trabalhadores no mercado formal de empregos. Conforme o órgão, uma das providências, neste ano, foi a realização de um treinamento para representantes das unidades da Agência do Trabalho, potencializando a captação de vagas. O Governo do Estado informou, ainda, que de janeiro a agosto, já captou e anunciou mais de 11 mil novas vagas de emprego, realizou 18,9 mil novos cadastros de trabalhadores no banco de dados, encaminhou 25,9 mil candidatos para seleções de emprego e atendeu 183,1 mil usuários do equipamento. A pasta acrescentou que já mapeou as principais demandas de profissionalização. O levantamento servirá de base para as próximas qualificações a serem ofertadas.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL