Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

COMBUSTÍVEIS

Petrobras sinaliza que deve aumentar preços dos combustíveis

Publicado em: 16/06/2022 22:06

 (Foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Foto: Leandro Couri/EM/D.A Press
O Conselho de Administração da Petrobras deu sinal positivo ao aumento nos preços dos combustíveis em reunião extraordinária nesta quinta-feira (16). Segundo o blog do jornalista Valdo Cruz, no portal G1, o reajuste incidirá sobre o diesel, com aumento de 10%. Já o site Valor Econômico noticiou impacto também na gasolina.

Conselheiros próximos ao presidente Jair Bolsonaro tentaram convencer seus pares a adiar o aumento, mas a sugestão foi negada. A diretoria da Petrobras teria argumentado que a única forma de evitar a variação positiva nos combustíveis seria o subsídio pelo governo do diesel adquirido no exterior pela estatal e por importadores privados. A ideia, contudo, foi descartada pela União.

Os executivos da Petrobras ainda alegaram que um eventual adiamento no aumento acarretaria em importação de diesel mais caro, o que traria prejuízos para a companhia, possível escassez do combustível e ações na Justiça.

Lideranças da estatal também teriam dito que, após medidas adotadas pelos Estados Unidos, os preços da Petrobras estariam defasados em 20% e os da gasolina em 5% em comparação ao mercado internacional.

Proposta do governo

O governo federal apresentou projeto para limitar em 17% a alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da gasolina e do etanol. Em contrapartida, os estados seriam compensados com recursos de R$ 25 bilhões a R$ 50 bilhões enviados pelo Executivo.
 
 (Foto: Leandro Couri/EM D.A Press - 13/6/2022)
Foto: Leandro Couri/EM D.A Press - 13/6/2022
 
 
O objetivo da lei é reduzir o preço dos combustíveis para o consumidor e, desta forma, tentar apagar a imagem de que a gestão de Jair Bolsonaro é responsável pela disparada de preços e não estava tomando nenhuma atitude para conter a subida.

A medida foi criticada por governadores estaduais, que estimam perda de arrecadação de R$ 64 bilhões a R$ 83 bilhões com o corte de parte do ICMS.

'Interesse político'

Há algumas semanas, Bolsonaro apontou a Petrobras como responsável pela inflação dos combustíveis no Brasil. O presidente vem repetindo insistentemente que a empresa está “rachando de ganhar dinheiro”, mas sem avaliar os impactos da inflação para a população
 
 (Foto: Reprodução)
Foto: Reprodução
 
Nesta quinta-feira, em sua live, Bolsonaro voltou a apontar contra os administradores da companhia. “Quanto mais o povo está sofrendo, mais felizes estão os diretores e o atual presidente da Petrobras"

Na opinião de Bolsonaro, trata-se de “um interesse político para atingir o governo federal” caso a petroleira aumente os preços enquanto o governo negocia a redução do ICMS com os governadores.

Por sua vez, a Petrobras defende que importadores privados podem desistir de atuar no Brasil se houver contenção artificial dos preços. Segundo a empresa, a manobra levaria a um desabastecimento de combustível no país.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Nova presidente da Caixa toma posse e anuncia primeiras medidas
Manhã na Clube: entrevista com o ex-ministro e pré-candidato ao senado, Gilson Machado
Suspeito de ataque a tiros com seis mortos é detido nos EUA
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Grupo Diario de Pernambuco