Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

PETROBRAS

Pacheco cobra do governo 'estabilização de preços' de combustíveis

Publicado em: 17/06/2022 17:20

 (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press
)
foto: Leandro Couri/EM/D.A Press
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), criticou o aumento dos valores dos combustíveis anunciado nesta sexta-feira (17) pela Petrobras. Por meio de nota, o político cobrou do governo federal uma intervenção para estabilizar os preços levando em consideração o momento de crise em que a população brasileira se encontra. 

“Se a situação dos preços dos combustíveis está saindo do controle, o Governo deve aceitar dividir os enormes lucros da Petrobras com a população, por meio de uma conta de estabilização de preços em momentos de crise. Afinal, é inexistente a dicotomia Petrobras e Governo, pois a União é a acionista majoritária da estatal e sua diretoria indicada pelo Governo. Além disso, medidas semelhantes estão sendo adotadas por outros países em favor de sua economia e de sua população”.

Segundo Pacheco, o Senado executou medidas que estavam ao seu entendimento e, assim, aguarda providências imediatas por parte da Petrobras e da União. “Já que o governo é contra discutir a política de preços da empresa e interferir na sua governança, a conta de estabilização é uma alternativa a ser considerada.”, 

Alta nos combustíveis

O anúncio do reajuste da gasolina e do diesel vendidos às distribuidoras foi feito nesta sexta-feira (17) pela Petrobras. Os novos preços entram em vigor neste sábado.

Conforme a Petrobras, o preço médio do litro da gasolina aumentou 5,18%, de R$ 3,86 para R$ 4,06. Já o litro do diesel teve variação de 14,26%, saltando de R$ 4,91 para R$ 5,61.

Após o comunicado, o presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou a empresa em suas redes sociais: "A Petrobras pode mergulhar o Brasil num caos. seus presidente, diretores e conselheiros bem sabem do que aconteceu com a greve dos caminhoneiros em 2018, e as consequências nefastas para a economia do Brasil e a vida do nosso povo".

Logo ele foi rebatido pelo pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT), que declarou que o presidente não tem competência para mudar a política de preços. “Pura demagogia eleitoreira e muito desespero".
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com o ex-ministro e pré-candidato ao senado, Gilson Machado
Suspeito de ataque a tiros com seis mortos é detido nos EUA
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Grupo Diario de Pernambuco