Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

COMBUSTÍVEIS

Petrobras avisa que vai manter preços de mercado; defasagem sobe

Publicado em: 06/05/2022 15:54

 (crédito: Isabel Dourado/CB/DA.Press)
crédito: Isabel Dourado/CB/DA.Press
O presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, confirmou nesta sexta-feira (6) que a estatal vai manter a política de preços de mercado para calcular o valor dos combustíveis para o consumidor brasileiro, um dia após o anúncio de lucro recorde de R$ 44,65 bilhões da companhia. Embora o presidente Jair Bolsonaro (PL) tenha classificado os preços como "um estupro", a defesagem dos valores praticados pela companhia já é maior do que a registrada no último aumento.

“Não é só preço do barril. É gestão responsável que tem sido feita nos últimos anos. Não podemos nos desviar da prática de preços de mercado. É uma condição necessária para a geração de riqueza não só para a empresa, mas para toda a sociedade brasileira, fundamental para a atração de investimentos do país e para garantir o suprimento dos derivados que o Brasil precisa importar”, disse o presidente.

Nesta sexta-feira, a Petrobras chega ao 57º dia desde o último reajuste da companhia, ocorrido no dia 18 de março, ultrapassando o período de contingenciamento anterior. Naquela ocasião, o anúncio do aumento de preços foi realizado também no 57º, sob o argumento de que a estatal não podia mais sustentar a defasagem entre os valores praticados pela Petrobras e o mercado.

Dados da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) apontam uma defasagem média de -21% no óleo diesel e de -17% para a gasolina, no 57º dia desde o último reajuste da Petrobras, no dia 18 de março, sob argumento de que a estatal não podia suportar mais a defasagem entre os preços praticados pela companhia e o mercado. Naquela data, a estatal também estava há 57 dias segurando o aumento dos preços. 

A Abicom indica que o mercado internacional e o câmbio — do dólar — pressionam os preços domésticos. "Arbitragem desfavorável na média de -R,27/L, variando entre -R,51/L a -R,29/L, a depender do porto de operação", avaliam.

O preço da gasolina também está defasado, de acordo com a Abicom. "Arbitragem desfavorável na média de -R,78/L, variando entre -R,89/L a -R,48/L, a depender do porto de operação", apontam.

Balanço 
 
A Petrobras registrou lucro líquido de R$ 44,56 bilhões no primeiro trimestre deste ano. O valor representa alta de 3.718,4% em relação ao mesmo período de 2021, quando a estatal registrou R$ 1,16 bilhão de lucro, devido, principalmente, aos impactos negativos da pandemia. Os dados foram divulgados pela companhia na noite de quinta-feira (5).
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Última Volta: GP da Espanha 2022 de F1
Antiproibicionismo: Marcha da Maconha por uma nova política de drogas
Manhã na Clube: entrevista com Raquel Lyra (PSDB)
Casamento de Lula e Janja: celulares barrados na entrada
Grupo Diario de Pernambuco