Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

LEVANTAMENTO

Em alta, cesta básica está custando R$ 630 na RMR, aponta Procon-PE

Publicado em: 03/05/2022 17:25 | Atualizado em: 03/05/2022 16:29

Resultado representa um impacto de 52,03% no orçamento apenas com alimentação básica (Tânia Rego/Agência Brasil)
Resultado representa um impacto de 52,03% no orçamento apenas com alimentação básica (Tânia Rego/Agência Brasil)
Realizada por fiscais do Procon Pernambuco na Região Metropolitana do Recife (RMR) e nos municípios de Goiana, Gravatá, Vitória de Santo Antão, Carpina e Palmares, a pesquisa da cesta básica de abril apontou um aumento no custo do item em comparação com o mês de março de 2022. Na RMR, a cesta passou de R$ 607,31 para R$ 630,66 nesse período, número que representa um aumento de 3,8% em um mês. Para o trabalhador que precisa sobreviver com apenas um salário mínimo, o resultado representa um impacto de 52,03% no orçamento apenas com alimentação básica.

Entre os itens da cesta, o que mais variou de preço foi a farinha de mandioca, 180,60%, podendo o quilo ser encontrado por R$ 2,99 em um local e R$ 8,39 em outro. Logo em seguida aparece a salsicha, com 158,92% de diferença, variando de R$ 8,69 a R$ 22,50. A cebola também teve uma variação significativa, 124,30% de um estabelecimento para outro, sendo R$ 4,28 o menor preço registrado e o maior, R$ 9,60. Já o preço do feijão mulatinho variou de R$ 5,99  a R$ 9,99, uma diferença de 66,78%.

Já entre os itens de limpeza doméstica, o sabão em pó foi o que mais variou, 309,35%, sendo encontrado por R$ 1,39 num local e R$ 5,69 em outro. No setor higiene pessoal, o papel higiênico, pacote com quatro, teve a maior diferença, 289,94%.    

De acordo com Ana Carolina Guerra, gerente geral do Procon/PE, "a pesquisa de preços faz um comparativo dos valores de vários produtos para o consumidor, possibilitando uma economia na hora das compras". 

O levantamento monitora o total de 27 itens, sendo 19 de alimentação, quatro de limpeza doméstica e quatro de higiene pessoal. Os fiscais do órgão passam por 76 estabelecimentos, onde são comparados os valores, considerando as diferenças entre os estabelecimentos pesquisados e os maiores e menores valores encontrados. Para conferir a pesquisa completa o consumidor pode acessar o site do Procon-PE que está disponível em: www.procon.pe.gov.br.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Cada vez mais brasileiros procuram a medicina tradicional chinesa
Manhã na Clube: entrevistas com Bruno Rodrigues e Débora Almeida
Grupo Diario de Pernambuco