Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

REUNIÃO

Comsefaz e Senado dialogam em busca de solução para os preços dos combustíveis

Publicado em: 12/05/2022 17:00

Foram discutidas propostas que possam contribuir para frear os aumentos sucessivos nos preços da gasolina, diesel e GNV (Pedro Gontijo/Senado Federal)
Foram discutidas propostas que possam contribuir para frear os aumentos sucessivos nos preços da gasolina, diesel e GNV (Pedro Gontijo/Senado Federal)
Em busca de uma solução para diminuir o impacto dos constantes reajustes dos combustíveis, o presidente do Comsefaz (Comitê Nacional de Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal), Décio Padilha, se reuniu nesta quinta-feira (12) com o presidente do senado Rodrigo Pacheco.

Durante o encontro, que contou com a presença de outros secretários de Fazenda de estados brasileiros, foram discutidas propostas que possam contribuir para frear os aumentos sucessivos nos preços da gasolina, diesel e GNV. De acordo com Décio, os secretários aproveitaram a oportunidade para demonstrar o esforço que está sendo realizado pelos estados em busca de uma solução para a problemática. 

“Tivemos a oportunidade de demonstrar em detalhes o sacrifício que os 27 estados estão fazendo com relação aos combustíveis. Só no exercício de 2022, vamos renunciar a R$ 37,2 bilhões de arrecadação de diesel, gasolina, GNV e álcool. De novembro até abril, já abrimos mão de R$ 16 bi de receita de combustível. O ICMS não tem nenhuma relação com os  aumentos constantes dos combustíveis. Mesmo com o congelamento, o diesel já aumentou 47% só neste ano”, afirmou o presidente do Comsefaz.

De acordo com Décio, a resolução definitiva da questão só deverá ocorrer com a aprovação de um projeto de lei que cria uma conta de equalização dos preços dos combustíveis através de dividendos da Petrobras. 

“Esse modelo já é utilizado em sete países desenvolvidos e defendemos que também seja adotado aqui.  Já temos o projeto aprovado no Senado e só falta ser aprovado na Câmara. Essa é a única medida que atenua a volatilidade dos preços dos combustíveis de forma imediata. Ela é necessária principalmente agora que o dólar, que é um dos pilares da política de paridade internacional da Petrobras, voltou a subir”, completou. 

Durante a reunião, o senador Rodrigo Pacheco se comprometeu a solicitar ao presidente da Câmara, Arthur Lira, que vote o projeto. Na prática, a proposta já aprovada pelo Senado prevê que os lucros da Petrobras repassados à União sejam usados pelo governo federal em momentos de alta do dólar e do barril do petróleo no mercado internacional para segurar os preços dos combustíveis no Brasil.

Na visão do comitê, a reunião realizada nesta quinta poderá auxiliar no andamento da questão. “Tivemos espaço para explicar em detalhes nossas sugestões para atenuar imediatamente esses aumentos constantes de combustíveis. Também mostramos que o Comsefaz fixou uma alíquota única para o diesel e não aumentamos a carga tributária. Convidamos o senador Rodrigo Pacheco para participar de uma reunião com os governadores para combinarmos a melhor solução possível para os combustíveis”, concluiu. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Cada vez mais brasileiros procuram a medicina tradicional chinesa
Grupo Diario de Pernambuco