Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

COMBUSTÍVEIS

Chorão culpa Bolsonaro sobre combustíveis: 'País vai parar novamente'

Publicado em: 24/05/2022 21:46

 (Foto: Reprodução/Facebook)
Foto: Reprodução/Facebook
Os caminhoneiros voltaram a subir o tom contra o governo federal e ventilam a possibilidade de uma paralisação da categoria, caso a situação dos preços dos combustíveis não seja resolvida. Por meio de nota divulgada nesta terça-feira (24), Wallace Landim, o Chorão, um dos principais líderes da categoria, cobrou uma atitude do presidente Jair Bolsonaro (PL) em relação aos sucessivos aumentos nos preços dos combustíveis.

"Exigimos transparência com relação ao estoque de diesel para o mercado interno. O novo presidente da Petrobras precisa dizer para a categoria se os preços vão parar de subir e se existe risco de  desabastecimento", disse Chorão, na nota.

"Ou o senhor chama a responsabilidade, chama o conselho administrativo da Petrobras, chama o Ministério da Economia, quem o senhor quiser. Porque, senão, esse país vai parar novamente. A categoria já está parando por não ter condições de rodar, a classe pobre não tem condições de comer. Chame a responsabilidade, porque senão esse país vai estar parado e a responsabilidade é sua”, declarou no vídeo.

As falas de Chorão sobre a possibilidade de uma greve oscilaram nos últimos dias, diante das reviravoltas no assunto. Ele também afirmou que os caminhoneiros foram pegos de surpresa com a nova troca no comando da Petrobras em menos de 40 dias e cobrou transparência em relação ao estoque do diesel no mercado interno. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Toalhas de Lula e Bolsonaro movimentam o comércio e dão o tom das eleições
Desemprego cai a 9,8% entre março e maio no Brasil
Grupo Diario de Pernambuco