Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

CONJUNTURA

Petrobras desiste de vender empresa de fertilizantes para grupo russo

Publicado em: 28/04/2022 13:10

 (crédito: Tânia Rêgo/ Agência Brasil)
crédito: Tânia Rêgo/ Agência Brasil
 A Petrobras anunciou, nesta quinta-feira (28), a interrupção da venda da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III), no município de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, com o grupo russo Acron. De acordo com a estatal brasileira, a previsão é lançar um novo processo de venda já no início de junho.

No comunicado emitido hoje, a empresa não detalha as dificuldades para a continuidade do negócio, mas diz que a nova proposta apresentada pelo comprador não pode ser aprovada pelo governo. “O plano de negócios proposto pelo potencial comprador, em substituição ao projeto original, impossibilitou determinadas aprovações governamentais que eram necessárias para a continuidade da transação”, diz o documento.


Na sequência, a empresa explica que está finalizando o “processo de desinvestimento”, mas que pretende adotar total transparência para as novas etapas do processo de venda da fábrica. “A companhia está realizando os trâmites internos para encerramento do atual processo de venda e preparando o lançamento de um novo teaser tão logo possível. A previsão é lançar o novo processo já no início de junho.”

A compra da empresa da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III), no município de Três Lagoas, ao grupo russo Acron foi anunciada pela Petrobras em 2 de fevereiro de 2022, pouco antes do início do conflito entre Rússia e Ucrânia.

No contexto do conflito, sanções impostas por países contrários à guerra impuseram o banimento da Rússia do sistema bancário internacional.

Histórico
 
A fase de desinvestimento da Petrobras começou em 2014, após a crise da empresa em meio à convulsão política que culminou no impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). A estatal decidiu sair do mercado de fertilizantes e fechou as fábricas ativas em todos os locais, e passou a tentar vendê-las.

“Até o final do primeiro semestre deste ano, as fábricas de fertilizantes nitrogenados da Bahia (Fafen-BA), localizada no polo petroquímico de Camaçari (BA), e de Sergipe (Fafen-SE), na cidade de Laranjeiras, serão hibernadas. A iniciativa faz parte do processo de saída integral da produção de fertilizantes, conforme anunciado pela companhia em setembro de 2016”, diz a nota da empresa divulgada em março de 2018.

Nesse contexto, em 2020, a estatal também acabou vendendo, para o grupo russo Acron, a fábrica de fertilizantes em Três Lagoas (MS), com cerca de 80% das obras concluídas para produzir ureia fertilizante, ureia para uso industrial, amônia, gás carbônico e sulfato de amônio.

Acordo
 
Mais uma vez por meio de nota, a empresa divulgou no último dia 4 de fevereiro que havia chegado a um acordo para as minutas contratuais e “para a venda de 100% de sua Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III), no município de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, com o grupo russo Acron”.

A nota dizia ainda que a “assinatura do contrato de venda depende ainda de tramitação na governança da Petrobras, após as devidas aprovações governamentais”. Enfim, a guerra entre a Rússia e a Ucrânia travou este segmento em “desinvestimento” da Petrobras. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com a dra. Tamara Cristina, endocrinologista
Refugiados ucranianos no Brasil: mais de 10 mil quilômetros longe de casa
Manhã na Clube: entrevista com Miguel Coelho
Manhã na Clube: entrevista com dr. Antônio Manuel de Almeida Dias, presidente da CESPU Europa
Grupo Diario de Pernambuco