Diario de Pernambuco
Busca

CONJUNTURA

Fragilizada, produção industrial tem 6ª queda seguida

Publicado em: 07/01/2022 07:12

 (Foto: Jonathan de Sousa Melo/Divulgação)
Foto: Jonathan de Sousa Melo/Divulgação
Ao recuar 0,2% em novembro passado, a produção industrial brasileira registrou a sexta queda mensal consecutiva, confirmando a tendência de enfraquecimento da atividade econômica no país. Apenas nos últimos seis meses, a indústria acumula queda de 4%, segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

O resultado reforça a percepção de que a atividade econômica no país perde força mais rapidamente do que o esperado, na avaliação do economista-chefe da gestora de recursos Kínitro Capital, Sávio Barbosa. Após a retração industrial, os cálculos preliminares da gestora para o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre, com base em indicadores antecedentes, cedeu de uma elevação de 0,2% para 0,1%. "Ainda é um ligeiro crescimento, só que está mais próximo de estagnação", disse.

 (Arte: CB)
Arte: CB

Fábio Bentes, economista sênior da Confederação Nacional do Comércio (CNC), avaliou que a fraqueza da produção industrial pode ser um sinal de contração da economia — o que antecipa impactos negativos em outros setores, como o comércio. "Estamos com uma inflação alta, controlada por meio da taxa de juros. Essas retrações consecutivas da indústria podem antecipar um cenário de recuo em outros setores, como o comércio. Todas essas variáveis já anunciam. Enquanto a inflação girar em torno de 10%, veremos retração na indústria e comércio, o que pressiona o Banco Central, que precisa ajustar os indicadores", explicou.

O volume produzido pela indústria nos nove primeiros meses do ano passado ficou 4,7% acima do registrado no mesmo período de 2020. O gerente da pesquisa do IBGE, André Macedo, porém, relativizou esse dado. "Quando olhamos para o ano anterior, os resultados ao longo de 2021 são quase sempre positivos, pois a base de comparação é baixa, já que, no início da pandemia, a indústria chegou a interromper suas atividades, com o ano de 2020 fechando com um recuo de 4,5%", observou. "Analisando mês a mês, observamos que, das 11 informações de 2021, nove foram negativas. Ou seja, o setor industrial ainda sente muitas dificuldades e se encontra, atualmente, 4,3% abaixo do patamar de produção em que estava em fevereiro de 2020, antes do início da pandemia", acrescentou.

De acordo com os dados do IBGE, em novembro, os setores mais influenciados negativamente foram os de produtos de borracha e material plástico. Os dois ramos, conforme destacou o IBGE, perderam toda a expansão acumulada (3,5%) nos meses de setembro e outubro. Outro segmento que recuou foi o da metalurgia (-3%) — que já está na terceira queda seguida, acumulando perda de 7,7%.

Outros produtos, como: metal (-2,7%); bebidas (-2,2%); coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-0,6%); perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (-4,5%); e produtos diversos (-4,5%) também passaram por baixa.

Apesar da redução no ritmo industrial, o IBGE informou que apenas uma entre as quatro grandes categorias econômicas caíram: a produção de bens de capital (-3%). Por outro lado, 13 atividades apontaram crescimento na produção. Entre elas, as que exerceram os principais impactos em novembro de 2021 foram os produtos alimentícios (6,8%), indústrias extrativas (5%) e veículos automotores, reboques e carrocerias (2,9%). As duas primeiras atividades, de acordo com o instituto, voltaram a crescer após dois meses consecutivos de queda na produção e a última marcou o primeiro resultado positivo desde abril de 2021.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL

Reino Unido devolve à Índia objetos saqueados durante a época colonial

19/08/2022 às 10h50

Roda de conversa 'Dá Licença para Criar' discute economia do cuidado e garantia de direitos para mães e pais

19/08/2022 às 10h48

Os bancários cobram a reposição da inflação (INPC) mais 5% de ganho real, aumento maior para os vales refeição e alimentação e a garantia de todos os direitos da Convenção Coletiva de Trabalho.

Em campanha nacional, bancários realizam paralisações relâmpago para pressionar Fenaban nesta sexta-feira (19)

19/08/2022 às 10h26

Fies: termina hoje prazo para pré-selecionados comprovarem informações

19/08/2022 às 10h23

Grande incêndio no leste da Espanha ameaça parque natural

19/08/2022 às 09h30

De acordo com a Lei Eleitoral (9.504/97), não é permitida a colocação de material de propaganda de qualquer natureza em árvores e jardins localizados em áreas públicas, bem como em muros, cercas e tapumes divisórios.

TRE-PE recolhe 50 bases de bandeiras eleitorais no Recife

19/08/2022 às 09h29

Prorrogada presença da Força Nacional em terra indígena no RS

19/08/2022 às 09h15

UE dividida sobre vetar turistas russos

19/08/2022 às 08h57

Forças israelenses matam palestino na Cisjordânia ocupada

19/08/2022 às 08h44

Coreia do Norte rejeita oferta de ajuda em troca de desnuclearização feita por Seul

19/08/2022 às 08h24

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

19/08/2022 às 08h12

Confira a agenda dos candidatos à Presidência para esta sexta (19)

19/08/2022 às 08h09

Auxílio Brasil é pago hoje a beneficiários com NIS final 9

19/08/2022 às 07h56

Turquia expressa preocupação com a situação na usina nuclear da Ucrânia

19/08/2022 às 07h54

Estudo identifica mais de 70 genes associados ao autismo

19/08/2022 às 07h50

Sociedade médica dos EUA revisa sintomas das principais doenças do coração

19/08/2022 às 07h48

Executivo de Trump admite sonegação fiscal e fecha acordo

19/08/2022 às 07h45

Emigrantes aconselham que viver nos EUA exige disciplina financeira

19/08/2022 às 07h44