Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

PANDEMIA

Bolsonaro minimiza impacto da inflação e culpa medidas de distanciamento

Publicado em: 12/01/2022 20:25

 (Foto: Reprodução/Pixabay)
Foto: Reprodução/Pixabay
O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (12) que a culpa pela inflação de dois dígitos é das medidas de distanciamento social adotadas em meio à pandemia da Covid-19.

"Em 2014 ou 2015, a inflação foi de 10%. Me aponte qual crise aconteceu nesses dois anos? Não teve crise nenhuma. Tivemos a questão da Covid. Com a política do 'fique em casa', a cadeia produtiva sofreu solavancos, e aí a inflação é uma questão natural. Pelo menos 38 milhões de trabalhadores informais perderam o seu ganho", afirmou em entrevista à Gazeta Brasil.

A inflação terminou 2021 com variação acima de 10% pela primeira vez desde 2015, corroendo a renda e o poder de compra da população. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), subiu 0,73% em dezembro, acima das estimativas do mercado, resultando em uma variação de 10,06% no acumulado do ano. Isso significa que, em cada R$ 1 mil de salário do trabalhador, R$ 100 foram engolidos pelo dragão da inflação ao longo de 2021.

Bolsonaro também comentou o aumento dos preços dos combustíveis. Na terça-feira (11), a Petrobras divulgou aumento nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias a partir de hoje. Segundo a estatal, o preço médio de venda da gasolina para as distribuidoras passou de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro. No caso do diesel, o preço subiu de R$ 3,34 para R$ 3,61 por litro. Ao comentar o aumento, o chefe do Executivo disse que, se pudesse, ficaria livre da Petrobras.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevista com Padre Arlindo
Ômicron começa a recuar nos Estados Unidos
Manhã na Clube: entrevista com Paulo Pimentel, advogado tributarista e professor da ITS EDU
Segundo a ONU, 2021 foi um dos sete anos mais quentes da História
Grupo Diario de Pernambuco