Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

MARCAS PREFERIDAS 2021

Usina Petribu, tradição e reinvenção constante

Publicado em: 16/12/2021 09:37 | Atualizado em: 16/12/2021 15:42

 (Mais antiga usina de cana do mundo, tem açúcar e etanol como carros-chefe. Foto: Divulgação)
Mais antiga usina de cana do mundo, tem açúcar e etanol como carros-chefe. Foto: Divulgação
Presente no cafezinho de fim de tarde, no combustível que abastece o carro, no álcool em gel para limpar as mãos, os produtos da Usina Petribu carregam séculos de tradição e reinvenção constante. A cana-de-açúcar, principal matéria-prima da empresa, foi utilizada e ressignificada ao passar dos anos, transformando o que começou como um engenho familiar na mais antiga usina de cana do mundo, em atividade desde 1729, no Brasil.

“A Usina Petribu existe como negócio desde 1729, o que nos torna hoje a usina de cana-de-açúcar mais antiga em funcionamento do mundo. O açúcar e o etanol são nossos principais produtos”, comenta o diretor comercial da Usina Petribu, Rodrigo Maurício de Lima. Há mais de 20 anos a empresa trabalha com açúcar para exportação e vendas domésticas, para indústria e varejo. Pela facilitação da logística, a empresa tem como foco principal o mercado nacional, em especial o Nordeste.

A produção de etanol, por sua vez, é bem mais recente. Desde a década de 1970, a Usina fabrica o álcool para aplicação como combustível, anidro e hidratado. O anidro é a versão mais “pura” do etanol, é utilizado misturado à gasolina. Já a variante hidratada é aquela que vai diretamente às bombas de combustível. Desde 2018 também atua no varejo com o álcool sa- neante, usado na limpeza geral e conservação de ambientes, como casas, escritórios, lojas e hospitais. Todo o processo de fabricação é realizado pela Usina Petribu, incluindo o envase e a rotulagem, possibilitando mais controle de qualidade e segurança.

“Com a pandemia, em março de 2020, e a liberação de venda do álcool 70% no varejo, o volume de produção triplicou. Até então, existia uma única linha de produção em um turno. Mas, com a demanda crescente, a produção passou a ser realizada em três linhas, durante três turnos”, compartilha Rodrigo de Lima. A usina produz o álcool saneante líquido com volumes de 46% e 70% (concentração de álcool em relação à proporção de água) e álcool 70% em gel. O incremento produtivo e a emergência sanitária transformaram os produtos Petribu em presença frequente nos lares pernambucanos.

Para o futuro, a Usina pretende diversificação do mix de produtos, tanto para o açúcar quanto para o álcool. Novas culturas também já estão em planejamento, como o plantio de eucalipto. O crescimento sustentável se tornou uma das maiores ambições da companhia “Hoje a gente também produz energia e CO2 de forma completamente sustentável a partir do bagaço de cana, desde os anos 2000. Sempre fomos autossustentáveis nesse quesito. Produzimos nossa própria energia e o excedente comercializamos para outras instituições”, finaliza Rodrigo Maurício.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Cada vez mais brasileiros procuram a medicina tradicional chinesa
Grupo Diario de Pernambuco