Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

AUXÍLIO BRASIL

Após mudanças, Auxílio Brasil pode atender mais de 20 milhões de famílias

Publicado em: 25/11/2021 20:42

 (Reprodução/Pixabay)
Reprodução/Pixabay
A Câmara dos Deputados aprovou, hoje (25/11), o texto da Medida Provisória que cria o Auxílio Brasil e substitui o Bolsa Família pelo novo programa. O texto passou por mudanças e, segundo o relator, deputado, Marcelo Aro (PP-MG), agora o programa atenderá mais de 20 milhões de famílias brasileiras, 3 milhões a mais do que a previsão do governo. 

Atualmente, quem recebe o Auxílio Brasil são aquelas famílias que já faziam parte do Bolsa Família (aproximadamente 14,6 milhões). O plano do governo era aprovar a PEC dos Precatórios (que está no Senado e ainda voltará à Câmara) para bancar o novo programa no valor de R$ 400 já em dezembro, além de incluir 2,5 milhões de famílias, totalizando 17 milhões de grupos familiares beneficiados.

O relator da MP na Câmara, no entanto, fez alterações no texto que aumentaram o número de cidadãos que podem entrar no programa. A primeira delas foi a mudança na faixa da pobreza e extrema pobreza.

No parecer do parlamentar, passam-se a ser elegíveis as famílias em situação de extrema pobreza com renda per capita mensal até R$ 105,00 e em situação de pobreza com renda entre R$ 105,01 e R$ 210. “A pobreza era a faixa de quem recebia o Auxílio, a faixa de R$ 178. Nós estamos mudando para R$ 210. Então são R$ 32 a mais de renda per capita para que você consiga entrar no programa”, disse o relator.

Segundo a redação anterior, a renda mensal máxima daqueles considerados de extrema pobreza era fixada em R$ 100 e dos considerados na linha da pobreza entre R$ 100,01 e R$ 200,00. Os valores foram alterados levando em consideração o reajuste pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), utilizado para calcular a inflação.

Outra mudança importante é a proibição de filas para a inclusão de novos beneficiários no programa – uma exigência da oposição para votar a favor da MP. Agora, segundo Marcelo Aro, as filas são zeradas. "Hoje o programa Bolsa Família tem 2 milhões de pessoas aproximadamente na fila que estão elegíveis para receber os recursos, mas não recebem porque existe uma fila. No nosso projeto que foi aprovado agora a gente zera a fila”, pontuou Aro.

“Automaticamente todo mundo que estava com demanda reprimida do Bolsa Família passa a receber o Auxílio Brasil”, esclareceu Marcelo Aro. “Zerando a fila e com a mudança das faixas de pobreza e extrema pobreza passaríamos de 20 milhões de famílias contempladas”, completou o parlamentar.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Justiça por Beatriz: pais organizam peregrinação de 720 km para cobrar solução de assassinato
Pessoas que já tiveram covid podem adoecer novamente devido à ômicron
Reino Unido aprova mais um medicamento contra Covid-19
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe
Grupo Diario de Pernambuco