Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Guedes confirma: auxílio emergencial será prorrogado por mais 3 meses

Publicado em: 01/10/2021 12:40

 (Foto: Reprodução/Macroday/BTG Pactual Digital)
Foto: Reprodução/Macroday/BTG Pactual Digital
O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, durante cerimônia do governo nesta sexta-feira (1º/10), que o auxílio emergencial será prorrogado por mais três meses. A declaração foi feita durante o discurso em que ele defendia as ações das pastas do governo.

“Estamos confiantes que o Brasil segue na trajetória do crescimento. O ministro Tarcísio (de Freitas, da Infraestrutura) vai vender mais 22 aeroportos, o ministro (Rogério) Marinho (do Desenvolvimento Regional) vai terminar as obras não concluídas, e o ministro João Roma (Cidadania) vai estender o auxílio emergencial. Então, somos um time remando pelo Brasil”, afirmou Guedes.

Os rumores de que o governo federal pretende prorrogar novamente o benefício surgiram na última semana, após declaração do presidente Jair Bolsonaro sinalizando a intenção de dar continuação os pagamentos. A ideia já vinha sendo defendida por João Roma, mas até então as informações vindas de interlocutores do governo eram de que a proposta encontrava resistência no Ministério da Economia.

Logo após a cerimônia, o Ministério da Economia emitiu nota de esclarecimento informando que o ministro quis se referir à extensão da “proteção aos cidadãos em situação de vulnerabilidade com o novo programa social Auxílio Brasil, que substituirá o Bolsa Família”, e não ao auxílio emergencial.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
CPI da Pandemia recomenda indiciamento de Bolsonaro
Manhã na Clube: entrevistas com Sileno Guedes e com a nutricionista Joyce Alencastro
CPI da Pandemia chega ao final com homenagens às vítimas da Covid
Manhã na Clube: ex-ministro Roberto Freire, dr. Cláudio Falcão e o advogado Pedro Avelino
Grupo Diario de Pernambuco