Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

PESQUISA

Setor de serviços teve segundo maior crescimento do Brasil em julho

Publicado em: 14/09/2021 14:08 | Atualizado em: 14/09/2021 14:53

Atividades de restaurantes estão entre as que mais cresceram em julho. (Pixabay/Divulgação)
Atividades de restaurantes estão entre as que mais cresceram em julho. (Pixabay/Divulgação)

O setor de serviços de Pernambuco registrou o segundo maior crescimento em julho do Brasil na comparação com junho. Com alta de 4,1%, o estado ficou atrás apenas de Alagoas, que registrou incremento de 5,4%. Além disso, o desempenho pernambucano foi melhor do que a média nacional, que foi de 1,1%. Com esse resultado, Pernambuco segue tendência de alta, já que foi o terceiro desempenho positivo consecutivo e supera os índices pré-pandemia pela primeira vez, com 3,1 pontos percentuais acima do resultado de fevereiro de 2020. Os resultados da Pesquisa Mensal de Serviços foram divulgados pelo IBGE.

Na comparação com julho de 2020, Pernambuco teve o sexto melhor desempenho do Brasil no setor de serviços. O crescimento de 25,8% registrado no estado foi alto, principalmente, pela base de comparação baixa do ano anterior e a alta de Pernambuco ficou atrás de Alagoas (40,7%), Acre (35,3%), Roraima (33,1%), Rio Grande do Norte (29,6%) e Bahia (28,7%). Novamente, Pernambuco teve crescimento acima da média nacional, que foi de 17,8%. Nesta base de comparação, das 27 unidades federativas, apenas uma apresentou queda: em Rondônia, o recuo foi de 0,9%.

Mesma base

Comparando com o mesmo período do ano anterior, das cinco atividades de serviços pesquisadas, o maior crescimento foi nos Serviços prestados às famílias, que incluem 23 segmentos, como hotéis, bares, restaurantes, salões de beleza, espetáculos de artes cênicas e atividades esportivas em geral. A alta foi de 154,8%. “Isso se explica pelas características da atividade, que requer contato físico do consumidor para a prestação de serviços. A amenização dos números da pandemia permitiu uma maior movimentação no setor”, pontua Fernanda Estelita, gerente de planejamento e gestão do IBGE em Pernambuco.

Outras três atividades também registraram avanço em julho deste ano sobre o mesmo mês de 2020, mas menos expressivo: Serviços profissionais, administrativos e complementares e os Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio cresceram 23,9%. Já os Serviços de informação e comunicação tiveram alta de 7,7%. A única atividade que teve queda foi em Outros serviços, que inclui a compra, venda e aluguel de imóveis, atividades de apoio à agricultura, à pecuária e gestão de resíduos sólidos, com recuo de 1,1%.

Acumulado do ano

No acumulado do ano, o volume de serviços de Pernambuco apresentou resultado positivo, com alta de 8,4%. Mas o desempenho ficou abaixo da média nacional, que foi de 10,7%. Todas as 27 unidades da federação tiveram resultado positivo, estando o estado em nono entre os menores crescimentos. Em Pernambuco, na comparação com o mesmo período acumulado de 2020, as atividades de Serviços prestados às famílias voltaram a ter o melhor resultado, com alta de 32,7%, seguidas de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (8,8%), Outros serviços (7,6%), Serviços profissionais, administrativos e complementares (5,8%) e Serviços de informação e comunicação (1,8%).

Turismo 

Pernambuco registrou o maior crescimento no volume de atividades turísticas entre os 12 estados analisados pelo IBGE. A alta no estado foi de 9,5% em julho em relação a junho deste ano, desempenho que ficou apenas 1,4 ponto percentual abaixo de fevereiro de 2020, no período pré-pandemia. O resultado foi ainda maior do que a média nacional, de 0,5%. Bahia e Ceará, outros dois estados do Nordeste analisados, registraram alta de 6,1% e 0,9%, respectivamente. 

Na comparação com julho de 2020, Pernambuco registrou o terceiro maior crescimento das atividades turísticas do Brasil, alcançando 144,8%. O resultado foi o terceiro maior do país, atrás da Bahia (271,7%) e do Rio Grande do Sul (150,7%). No Brasil, a alta foi de 83%. 

 

No acumulado do ano, o estado também teve o terceiro melhor desempenho entre as localidades analisada, com crescimento de 6,1%. A maior alta foi registrada em Goiás, de 38,7%, seguida da Bahia, de 33,2%. A média brasileira teve incremento de 13,1%. Na variação acumulada nos últimos 12 meses, apenas Goiás teve desempenho positivo. Pernambuco registrou recuo de 5,7%, enquanto a retração na média nacional foi de 13,2%. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco