Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

BALANÇO

Pernambuco encerra o 1º semestre do ano com alta de 5,8% no PIB

Publicado em: 02/09/2021 15:14

Puxado pela indústria, estado conseguiu agregar R$ 127 bilhões nos primeiros seis meses do ano (José Paulo Lacerda/CNI)
Puxado pela indústria, estado conseguiu agregar R$ 127 bilhões nos primeiros seis meses do ano (José Paulo Lacerda/CNI)
Incentivado pelo bom desempenho da indústria, Pernambuco encerrou o primeiro semestre do ano com alta de 5,8% no Produto Interno Bruto (PIB). O resultado, divulgado nesta quinta-feira (2) pela Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco – Condepe/Fidem, representa um agregado de R$ 127,2 bilhões, em valores correntes, na economia pernambucana durante os primeiros seis meses do ano. Durante esse período, o setor que apresentou melhor resultado foi a indústria, com alta de 16,4%. 

Nesse segmento, o maior destaque ficou por conta da produção de outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores, que cresceu 110,0%. Em seguida, aparece a produção de veículos automotores, reboques e carrocerias, com avanço de 90,1%, e máquinas, aparelhos e materiais elétricos, com alta de 38,0%. A construção civil, que faz parte da indústria, também registrou um desempenho positivo no primeiro semestre do ano, com aumento de 13,8%. Além da indústria, a agropecuária e o setor de serviços também cresceram, com avanço de 8% e 3%, respectivamente. 

No segundo trimestre do ano, o resultado do PIB pernambucano também é positivo. Com alta de 10,5%. Nesse período, a indústria também foi o setor que mais cresceu, 28,3%. De abril até junho, a indústria de transformação se destacou com alta de 39%. Enquanto isso, a agropecuária e o setor de serviços cresceram 3,8% e 6,7%, respectivamente. 

Diretor de Estudos e Pesquisas da Condepe/Fidem, Maurílio Lima explica que esses resultados indicam um bom momento da economia estadual. “Representa a continuidade do processo de recuperação, com números importantíssimos para os setores da economia, principalmente a indústria. A indústria de transformação teve um forte desempenho, por exemplo. Além da construção civil, que foi um setor fortemente impactado pela pandemia, inclusive com a questão do emprego”. 

Maurílio também destaca o desempenho positivo do setor de serviços durante o segundo trimestre. “Foi o setor mais impactado em todos os sentidos. O crescimento indica uma retomada, especialmente com o comércio se recuperando desses efeitos”, observou. De abril até junho deste ano, o comércio pernambuco apresentou o segundo melhor resultado entre os segmentos que compõem o setor de serviços, com avanço de 20,6%. O bom desempenho foi superado apenas pelo segmento de transporte, armazenagem e correio, que cresceu 25,1%. 

Para o ano, a expectativa é de que Pernambuco consiga uma alta de até 5% no PIB. “Atualmente, a previsão é de que a economia do estado cresça entre 4,5% e 5%. Com a tendência da continuidade da recuperação da economia, alguns segmentos devem se acomodar. Mas, poderemos ter um crescimento com tranquilidade”, explicou o diretor de Estudos e Pesquisas da Condepe/Fidem, Maurílio Lima.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco