Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

TRIBUTOS

Partidos da 'terceira via' lançam manifesto contra mudanças no Imposto de Renda

Publicado em: 09/07/2021 18:03

 (Líderes do PSL, MDB, PSDB, Novo e de outros nove partidos assinaram carta, nesta quinta-feira (8), que critica pontos da reforma tributária apresentada pelo Governo. Foto: Reprodução/Pixabay)
Líderes do PSL, MDB, PSDB, Novo e de outros nove partidos assinaram carta, nesta quinta-feira (8), que critica pontos da reforma tributária apresentada pelo Governo. Foto: Reprodução/Pixabay
“Não ao aumento de impostos” é o título do manifesto assinado, nesta quinta-feira (8), pelos presidentes do PSL, MDB, PSDB, Novo e outros nove partidos, contra alterações ao Imposto de Renda e regras para implementação de tributação de dividendos, incluídas pelo governo na proposta de reforma tributária. Os partidos, que formam o grupo que busca pela “terceira via” eleitoral no pleito de 2022, afirmam, na carta, que tanto setores produtivos quanto a classe trabalhadora “não suportam uma proposta que aumenta a carga tributária, penaliza os investimentos e atrapalha a geração de empregos e renda”.

Para os representantes partidários, a solução está na alteração das cobranças de impostos sobre o consumo, cujo impacto no crescimento “é estimado no aumento do PIB potencial de 20 pontos percentuais em 15 anos”.

O texto reconhece que existem “distorções” no Imposto de Renda e que a sua reorganização é necessária, mas deve ser realizada “sem pressão do Poder Executivo”, que está agindo com “atitudes populistas, marcadamente antidemocráticas, que não envolvam a ampla participação de todos os setores da sociedade brasileira”

O documento é assinado por Luciano Bivar (PSL), Baleia Rossi (MDB), Bruno Araújo (PSDB), ACM Neto (DEM), Paulinho da Força (Solidariedade), Renata Abreu (Podemos), Eduardo Ribeiro (Novo), Roberto Freire (Cidadania) e José Luís Penna (PV). No total, os partidos somam 190 deputados.

Diante das críticas que vem recebendo desde que apresentou a proposta ao Congresso Nacional, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já declarou em diversas situações que o texto da reforma tributária poderá ser alterado, caso sejam reconhecidos “excessos”.

Em almoço com um grupo de empresários, na quinta-feira (8/7), o ministro garantiu que a proposta não será aprovada pelo Congresso antes do recesso parlamentar, possibilidade que chegou a ser levantada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com o prefeito João Campos (PSB) e o governador Paulo Câmara (PSB)
De origem humilde, potiguar Ítalo Ferreira é o primeiro ouro do Brasil em Tóquio
Manhã na Clube: entrevistas com Ubiracé Elihimas e Frederico Belfort
Manhã na Clube: entrevista com o médico geriatra Marcelo Cabral
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco