Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

FISCALIZAÇÃO

Procon Pernambuco interdita três financeiras de crédito

Publicado em: 06/05/2021 18:44

Empresas faziam empréstimos e ficavam com o dinheiro garantindo rendimentos (Foto: Procon/Divulgação)
Empresas faziam empréstimos e ficavam com o dinheiro garantindo rendimentos (Foto: Procon/Divulgação)

Nesta quinta-feira (6), o Procon Pernambuco interditou três empresas de crédito. Todas elas estavam funcionando de forma ilegal oferecendo empréstimos e ficando com o dinheiro garantido rendimentos fora da realidade. Uma delas não possuía sequer CNPJ. Toda a operação foi feita em conjunto com a Delegacia de Repressão ao Estelionato (Depatri).

As empresas interditadas foram a GT Clássica, em Boa Viagem; a Única localizada na Dantas Barreto, e a Diamond, no bairro do Pina. De acordo com a gerente de fiscalização do Procon, Danyelle Sena, todas elas trabalhavam de uma forma bem parecida. “Primeiro iam em busca dos clientes oferecendo empréstimos falando que a pessoa podia investir o valor retirado na empresa. Que o dinheiro iria render entre 10% e 25%, ao mês”, explica.

Em alguns casos a empresa ainda prometia pagar as parcelas do empréstimo. Todos os empréstimos eram feitos de forma consignada, ou seja, a parcela era descontada diretamente do salário do consumidor.

No Recife desde novembro de 2020, GT Clássica já havia fechado cerca de 15 contratos. Em um deles é possível ver escrito, em punho, dados de uma senhora aposentada que fez um empréstimo de R mil e transferiu todo valor para a empresa. Ela pagaria 96 parcelas de R$ 3.860. “No documento a empresa informa que irá pagar as parcelas e a permissão para a empresa baixar o aplicativo do banco do consumidor com poderes de mexer na conta, além de cópia do cartão”, explica a gerente. Os contratos de todos os clientes foram copiados e eles serão convocados pela Depatri para prestar esclarecimentos.

Segundo um funcionário da GT, eles captam os clientes através de dois sistemas que fornecem diversos dados de consumidores, entre eles nome, CPF, endereço, telefone, se é aposentado ou pensionista, se já tem empréstimo, a margem para um novo empréstimo e até o salário que recebe. Em alguns casos a empresa vai até a casa do consumidor para poder fechar negócio.

A GT foi interditada por fazer esse tipo de atividade e não possuir CNPJ, para fazer empréstimos, quarteirizou o serviço. A Única e Diamond também apesar de ter documentos também tinham a prática ilegal. No momento da fiscalização, na Diamond havia uma consumidora fechando contrato. Ela e a gerente da empresa foram encaminhadas a Depatri, para prestar esclarecimentos. A Única já tinha um procedimento administrativo no Procon, que a impedia de fazer novos contratos, mas que não estava sendo cumprido. Todas as empresas terão o prazo de 10 dias para apresentar defesa.

“Já recebemos no órgão, consumidores que fizeram esse tipo de transação. As empresas pagaram as primeiras parcelas e depois fecharam. Ninguém sabe para onde elas foram e também não possuíam CNPJ, o que dificulta o nosso trabalho”, conclui Danyelle.

Os consumidores que fizeram esse tipo de empréstimo devem procurar a sede do Procon Pernambuco, na Rua Floriano Peixoto, 141, bairro de São José, ou a Delegacia de Estelionato, localizada na Rua São Miguel, 268, no bairro de Afogados. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Marília Arraes, Marcella Salazar e Aurimar Borges Jr
Presidente da Argentina faz ataques xenofóbicos ao Brasil
Manhã na Clube: entrevistas com Tadeu Alencar e Túlio Rangel
Inflação tem maior alta para maio em 25 anos
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco