Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

Copergás

Recife tem segundo menor preço do GNV entre as capitais do Nordeste

Publicado em: 24/11/2020 18:10 | Atualizado em: 24/11/2020 18:14

 (Foto: Copergás/Divulgação)
Foto: Copergás/Divulgação
O Recife é a segunda capital do Nordeste com o menor preço médio do GNV para o consumidor, segundo levantamento da Associação Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizado em postos das cidades. O combustível é fornecido no estado pela Companhia Pernambucana de Gás (Copergás). O valor encontrado nos estabelecimentos pesquisados, no período de 8 a 14 de novembro, foi de R$ 2,939 no Recife. Em primeiro lugar ficou Maceió, com R$ 2,921. Todas as demais capitais tiveram valores acima de R$ 3.

Os preços do gás natural veicular (GNV) em Pernambuco estão sempre entre os menores do Brasil em virtude, principalmente, da lei estadual que reduziu o ICMS do setor para 12%. Os dados são confirmados nos boletins mensais de acompanhamento da indústria do gás natural, elaborados pelo Ministério de Minas e Energia. O último boletim disponível, de agosto passado, coloca Pernambuco em primeiro lugar no ranking nacional.

O avanço na legislação que trata do ICMS e do GNV começou em abril de 2013, quando o então governador de Pernambuco, Eduardo Campos, enviou à Assembleia Legislativa projeto de lei tratando da questão, com o objetivo de tornar o uso do combustível mais acessível à população. Em setembro de 2015, o governador Paulo Câmara sancionou nova lei ampliando e consolidando a medida.

Hoje, Pernambuco tem cerca de 67 mil veículos utilizando o GNV, segundo o Detran-PE. A rede de abastecimento ao consumidor está em expansão, com 74 postos já interligados à Copergás e previsão de chegar a 78 até o final deste ano. Para 2021, a projeção é de que o setor continue em constante evolução. “Estamos sempre trabalhando para ampliar nossa capacidade de atender aos novos consumidores, colocando ao alcance de um público cada vez maior a opção sustentável e econômica do gás natural veicular”, disse o presidente da Copergás, André Campos.

As conversões de veículos para o gás natural veicular sofreram redução durante o período de março a maio, em virtude da pandemia da Covid-19. A partir de junho e julho teve início a recuperação, proporcionada pelas regras adotadas pelo Governo do Estado para flexibilização do isolamento social. Em agosto, 563 carros fizeram a instalação do kit gás – até então, o melhor desempenho desde março. O total em outubro já mostra o avanço da retomada, com 779 veículos convertidos para uso do kit gás – número próximo ao verificado antes da pandemia, em fevereiro, que foi de 812 conversões.

A competitividade do GNV em comparação com outros combustíveis é um dos principais fatores que favorecem a opção para conversão dos veículos. Entre outras vantagens, é mais econômico (com preço e consumo menores), imune à adulteração e a tecnologia de conversão em estabelecimentos credenciados pelo Inmetro segue normas nacionais e internacionais.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rede de voluntários faz diferença em Manaus
Enem para todos com o professor Fernandinho Beltrão - Algas e fungos
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 22/01
Incêndio em fábrica de vacinas deixa cinco mortos na Índia
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco