Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

COTAÇÃO

Dólar fecha setembro com valorização de 2,5%, 2º mês seguido de alta

Publicado em: 30/09/2020 18:41

 (Foto: Renatao Cerqueira/Futura Press - 21/10/19
)
Foto: Renatao Cerqueira/Futura Press - 21/10/19

Por Jailson R. Sena 

Nesta quarta-feira (30), o dólar fechou em baixa de 0,37%, sendo cotado a R$ 5,61. Já a Bovespa operou o dia em alta e subiu 1,09%, alcançando 94.603 pontos. A repercussão do primeiro debate presidencial nos Estados Unidos e uma revisão do financiamento do novo programa social do governo foram os principais assuntos entre os investidores. O dólar fechou setembro com valorização de 2,5%, segundo mês seguido de alta.

Depois de uma má repercussão no mercado, o governo vai rever uma possível fonte de recursos para o Renda Cidadã. O presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores na saída do Palácio do Planalto, nesta quarta-feira que, apesar de dizer que não se tratava de uma mensagem direta aos investidores, “se o Brasil for mal, todo mundo vai mal.”

Ele ainda afirmou que quer estar bem com todos e que precisa de ajuda com “sugestões, não com críticas”. Já o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse em entrevista que “não existem votos para tirar dinheiro da Educação para o programa (Renda Cidadã). Ninguém vai fazer isso. Chance zero.”

Mais tarde, o Ministro da Economia Paulo Guedes, afirmou que o financiamento não será feito de qualquer jeito. “Como é uma despesa permanente, tem que ser financiado por uma receita permanente. Não pode ser financiado por um puxadinho, não é assim que se financia um Renda Brasil”.

Falta de compromisso

Para Gustavo Akamine, analista da Constância Investimentos, a proposta de retirar o financiamento via Fundeb e precatórios demonstra uma falta de compromisso com as contas públicas. “O governo não procurou uma maneira clara para viabilizar o programa e acabou se utilizando de uma artimanha. Isso demonstra que não há um grande compromisso com o equilíbrio fiscal a longo prazo”, avaliou.

Ele destacou que o Renda Brasil “geraria um aumento de R$ 35 bilhões, que, hoje, corresponde ao Bolsa Família, para R$ 65 bilhões, no ano que vem. E fica a questão de como vai se mobilizar politicamente o programa.”

Debate

No cenário externo, o primeiro debate entre os presidenciáveis para ocupar a Casa Branca, nos Estados Unidos, na terça-feira (29), não foi amistoso. “Apesar de (Donald) Trump ser visto como o candidato com políticas mais pró-mercado e alinhadas com um setor privado mais dinâmico, a julgar pela reação do mercado hoje (30), aparentemente, um líder como (Joe) Biden, sendo menos radical em suas mensagens e comportamento, pode compensar o programa de substancial aumento de impostos e relevante aumento de regulação, que tiraria muito do dinamismo da economia americana”, comentou Gustavo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Candidatos têm características das mais distintas, mas estão longe de representar os grupos sociais
Resumo da semana: 5 anos do surto de microcefalia, Covid suspende aulas e nova pesquisa no Recife
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #289 - Colênquima e esclerênquima
Rhaldney Santos entrevista Dra. Larissa Ventura, oftalmopediatra
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco