Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de DP+Ciência

CIRURGIA PLÁSTICA

Miss tira silicone após 10 anos e diz se sentir 'mais confiante e sexy'

Publicado em: 06/06/2022 15:45

 (crédito: Arquivo Pessoal)
crédito: Arquivo Pessoal
A modelo internacional e ex-miss Brasil Intercontinental Sabrina Sancler contou, em entrevista ao g1, que fez um explante do silicone nos seios, após sentir muitas dores e queimações no local. Ela afirma que, apesar da dificuldade em aceitar a remoção, se sente mais 'confiante e sexy'.

Sabrina colocou silicone nos seios aos 18 anos, quando morava em Bertioga, no litoral paulista. Ela vive hoje em Barcelona, na Espanha.

“Coloquei a prótese muito nova. Nessa idade a gente sorri mais do que pensa. Eu não tinha noção do que é uma cirurgia e uma anestesia. Eu não gostava do meu corpo. Coloquei silicone porque queria ter peito grande e era moda na época. A gente quer se encaixar”, revelou ela ao g1.

A ex-miss, no entanto, começou a sentir dores fortes e queimação na região das mamas, após cerca de dez anos da cirurgia. 

“Eu sempre vivi com a prótese, sem problema, mas comecei a sentir pontadas, que com o tempo foram evoluindo para queimação”, contou.

Os sintomas eram o corpo de Sabrina expelindo o silicone. “É normal depois de alguns anos o corpo expelir e precisar trocar a prótese. Eu estava com fibrose e contratura de grau 1, por isso meu peito estava muito dolorido”, explica.

A modelo conta que pensou em trocar a prótese ou em colocar uma menor, mas achou melhor não, porque poderia ter complicações. “Hoje em dia eu tenho mais consciência. Comecei a ver alternativas para retirar e participar de grupos de explante”.

Foi então que ela começou a pensar em retirar a prótese. “Não foi uma decisão de uma hora para outra, porque é uma decisão complicada. Eu demorei um ano pensando até realizar a cirurgia. Eu fui ao Brasil para retirar a prótese com um médico especialista em explante”, lembra.

Beleza plástica 
 
Sancler revela que a pressão estética e psicológica foram os pontos que mais pesaram na decisão.  “Beleza plastificada, isso que é o bonito hoje em dia. Mas meu corpo é precioso e eu não quero ficar passando por cirurgia estética assim por nada”.

“A pressão estética na Europa é mais tranquila, aqui o pessoal se importa muito com o natural e a questão da autoaceitação. A beleza plástica no Brasil é muito valorizada, diferente daqui. Se eu estivesse no Brasil, eu sentiria um pouco mais por ter tirado”, completa.

Ela afirma que o explante afetou a vida dela apenas de maneira positiva, deixando-a mais confiante, e ajudando a se aceitar e a se amar mais.

“Depois que eu tirei [a prótese] eu amei. Nem entendo a razão de ter colocado. Eu tenho o corpo que é para eu ter. Eu acho muito bonito meu peitinho, me sinto muito privilegiada de ter passado por uma cirurgia, ficar dez anos com a prótese, tirar e meu corpo reagir tão bem”, diz.

E que a decisão ensinou ela a valorizar outras coisas, como a saúde e não a pensar apenas na estética. “Talvez se eu tivesse 18 anos com a cabeça que eu tenho hoje, eu não colocaria [silicone], mas acho que precisei passar por esse processo para me entender e me conhecer”.

“Saúde em primeiro lugar, física e mental. Peito pequeno é lindo, é sexy. Eu me sinto muito mais sexy, utilizo muito mais decote. Me acho muito mais feminina com o peito pequeno”, afirma.

"Saúde, não estética" 
 
Em relação às mulheres que desejam colocar silicone ou fazer cirurgia plástica, Sabrina aconselha a buscar mudanças corporais de maneira natural. “Não busque por mudanças para ser igual ao outro. A gente tem que pensar na saúde, não na estética. A estética é uma consequência do nosso estilo de vida”.

“Seu corpo é a sua casa. Se ame e se respeite, pois é esse corpo que te leva para caminhar. Quer ajustar algo, faça o que faz bem para o seu corpo. Não tente ter o copo da Sabrina Sato, tente ter o seu corpo na melhor versão”, pontuou.

Ela diz ainda apoiar quem deseja realizar o explante. “Eu incentivo. Não há nada no mundo melhor do que estar saudável. É muito libertador. Nem todo mundo gosta de silicone ou pernas grandes. Você sempre vai se encaixar em algum lugar. A melhor maneira de se encaixar em algum lugar, é se encaixar em você mesmo”.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Grupo Diario de Pernambuco