Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de DP+Ciência

PANDEMIA

Pesquisadores estimam fim da vacinação no Brasil para outubro de 2022

Publicado em: 26/05/2021 19:13

 (Foto: ROBERT ATANASOVSKI / AFP)
Foto: ROBERT ATANASOVSKI / AFP
Uma plataforma desenvolvida por iniciativa do Laboratório de Estatística e Ciência de Dados da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) traz estimativas sobre a conclusão da vacinação contra a Covid-19 no Brasil. Segundo o painel desenvolvido pelos pesquisadores, é previsto que o país conclua a imunização no fim de outubro de 2022.

O estudo faz parte do grupo ModCovid19, que engloba pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da Universidade de São Paulo (ICMC-USP), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica da Universidade Estadual de Campinas (IMECC-Unicamp), do Instituto de Matemática Pura e Aplicada do Rio de Janeiro (Impa), da Fundação Getulio Vargas (FGV-Rio) e da Ufal.

Krerley Oliveira, professor de matemática da Ufal e coordenador do laboratório, explica que o intuito da plataforma é deixar a população a par de como está a vacinação em sua região. “A pesquisa em qualquer país e sociedade é algo fundamental para o desenvolvimento. Sem ela, a gente corre o risco de ir para trás no contexto global”, ressalta.

Além disso, o projeto pretende auxiliar prefeituras no desenvolvimento de estratégias para a vacinação.

Ele dá o exemplo com o estado do Piauí de como o painel pode ajudar na estratégia. “O Piauí é um estado grande que tem muitos municípios. Então, esse processo é dinâmico, todo dia tem gente tomando a primeira dose, todo dia tem gente tomando a segunda”, introduz. “Avaliar quantas pessoas estão atrasadas não é um processo simples. Quantas pessoas estão atrasadas para a 2ª dose hoje no Piauí? Se você quiser zerar a fila de segundas doses, quantas doses você tem que aplicar? A plataforma dá isso para a gente.”

Como é feita a pesquisa
O painel utiliza dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde e refina as informações para deixar o que é necessário na plataforma. Com base nesses dados, ele apresenta quantas vacinas já foram aplicadas, quantas pessoas tomaram a 1ª dose, quantas tomaram a segunda e calcula o ritmo com que a vacinação ocorre naquele local. Além disso, a plataforma estima em quantos dias deve ser concluída a vacina em cada município, estado e também no país.

“Como a gente recebeu muitos pedidos de ajuda para processar esses dados, porque a base é muito grande e a gente necessita tanto de conhecimento técnico quanto da infraestrutura computacional para ser processado, nós decidimos fazer isso para atender essas demandas”.

Outro procedimento é remover algumas anomalias que aparecem nos dados do Ministério. “São inconsistências relativamente naturais com uma base tão grande. Então, tem alguns erros na digitação, outros ocorrem na hora de importar os dados”, comenta Krerley.

“Algo comum é a pessoa aparecer somente com a 2ª dose”, relata. Nesses casos, os pesquisadores transformaram a 2ª dose em 1ª.

O painel ainda removeu pessoas cuja 2ª dose foi registrada antes da 1ª ou que a 1ª foi aplicada antes de 2021 e pessoas que tomaram doses de vacinas diferentes. A pesquisa também retirou aquelas que foram informadas mais de uma vez para a mesma pessoa, com mesma data de aplicação e registros de vacinas com nome de "Pendente Identificação".

Informações disponíveis no painel
A plataforma traz dados sobre o número de vacinas aplicadas, ritmo, atrasos na vacinação e demandas. Segundo último levantamento, feito na segunda-feira (24), foram 56.385.101 vacinas aplicadas, sendo 38.263.014 relativas à 1ª dose e 18.122.087 relativas à 2ª.

De acordo com as previsões, a vacinação deve ser concluída em 24 de outubro de 2022. O painel aponta que a 1ª dose está sendo aplicada no ritmo de 332.657 ao dia. Para a 2ª, são 199.582 aplicações diárias.

O estudo ainda apresenta o número de pessoas que tomaram a 2ª dose atrasada ou adiantada. Toda a pesquisa considera os imunizantes CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Diabetes: saiba como evitar e controlar antes que seja tarde
Manhã na Clube: entrevistas com Túlio Gadêlha, Beatriz Paulinelli e Guilherme Maia
Advogado de enfermeira afirma que Maradona foi morto
Manhã na Clube: entrevistas com Décio Padilha, Adriana Barros e Roseana Diniz
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco