Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Ciência e Saúde

SAÚDE

Procedimentos estéticos registram alta na pandemia; entenda

Publicado em: 21/04/2021 15:30

Segundo a Dra. Palmyra Santa Rosa, "a demanda dos pacientes e as queixas foram relativas a uso de máscaras e maior evidência das expressões faciais." (Foto: Ron Lac/Pexels)
Segundo a Dra. Palmyra Santa Rosa, "a demanda dos pacientes e as queixas foram relativas a uso de máscaras e maior evidência das expressões faciais." (Foto: Ron Lac/Pexels)

As férias eram comumente o período mais atrativo para pessoas que queriam repousar e se resguardar após procedimentos estéticos. Mas num contexto de pandemia e homeoffice, o que mudou nessa relação? De acordo com o Google Brasil muita coisa. Durante todo o período de isolamento o termo "rinoplastia", "preenchimento" e "botox", por exemplo, registraram um crescimento de cerca de 4.800% buscas no Google entre os meses de março e junho de 2020.  Em outro dado divulgado recentemente, este da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (American Society of Plastic Surgeons), é que 55% dos cirurgiões plásticos relataram que as injeções de Botox foram o tratamento mais procurado durante a pandemia, seguido por 40% que falaram sobre uma alta demanda por implante de silicone. 

Para a Dra. Palmyra Santa Rosa, cirurgiã-dentista e especialista em Harmonização Orofacial, esse aumento da demanda se manifestou diretamente no comportamento dos pacientes e no dia a dia do consultório. "A demanda dos pacientes e as queixas foram relativas a uso de máscaras e maior evidência das expressões faciais. Como as pessoas estão usando máscaras, os olhares ficaram muito voltados para partes expostas: testa e toda região dos olhos. Ou seja, o terço superior da face. Uma forma de tratamento é com toxina botulínica, como forma de minimizar as expressões", explica a profissional. Para ela, a nossa relação com as videochamadas e as câmeras frontais dos celulares também impactaram o olhar dos pacientes. "Uma coisa que foi forte na influência é o fato de por conta das videochamadas e da nossa relação com as redes, acabamos por observar mais o nosso rosto e consequentemente encontrar algumas imperfeições".

Entre os procedimentos mais procurados estão a toxina botulínica no terço superior da face, que começou a ser mais visado pelo uso das máscaras. Em segundo, os preenchimentos que passaram a ser mais desejados porque a máscara esconde a região. A bichectomia, um procedimento de retirada da gordura da bochecha, também foi bem procurada porque o período de recuperação pode ser todo em casa.

Também existe o relato que pacientes se sentiram mais a vontade de fazer procedimentos como preenchimento labial, preenchimentos no nariz, queixo, boca e mandíbula. "Muitos contam que por causa da máscara, estão muito mais confortáveis em fazer os procedimentos em qualquer dia da semana, inclusive", explica a Dra. Palmyra Santa Rosa. O fato de estarem em casa também influência: a ausência de exposição ao sol e nem algum tipo de evento que impedia a não realização do procedimento.

Para a especialista, a pandemia vai mudar definitivamente o mercado da estética. O Brasil já é líder mundial em cirurgias plásticas (13,1% do total), segundo números da International Society for Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS, por sua sigla em inglês). Quando falamos de procedimentos cirúrgicos, o país continua somente atrás dos Estados Unidos. "Em relação à busca por procedimentos, o mercado de estética passou sem ser tão afetado pela pandemia. Falo isso como empreendedora também. Eu enxergo que o mercado da estética sempre foi crescente no Brasil pelos padrões e pela cultura, já que somos um dos países que mais consomem procedimentos estéticos", finaliza.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Imunização para gestantes começa a ser liberada, mas ainda gera dúvidas
Resumo da semana: briga por terceira via em 2022, adeus a Paulo Gustavo e vacinação de gestantes
ONU pede  investigação independente sobre chacina no Rio
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 07/05
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco