Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Ciência e Saúde

PANDEMIA

Como usar a máscara PFF2/N95? Tire suas dúvidas sobre o modelo

Publicado em: 28/04/2021 14:31

 (A máscara é comprovadamente a mais eficaz contra a Covid-19, mas para proteger deve ser usada de forma correta e aliada a medidas de distanciamento social. Foto: AFP / Mark Felix)
A máscara é comprovadamente a mais eficaz contra a Covid-19, mas para proteger deve ser usada de forma correta e aliada a medidas de distanciamento social. Foto: AFP / Mark Felix

O uso de máscaras de proteção facial é uma das medidas mais eficazes no combate à Covid-19. E cada vez mais a ciência tem evidenciado a necessidade desse artefato para evitar o contágio. Isso porque estudos têm mostrado que a principal forma de transmissão do novo coronavírus é por via oral. O vírus tem a capacidade de ficar suspenso no ar em forma de aerossóis mesmo quando a pessoa contaminada já não está mais no ambiente. Por isso, a orientação tem sido a de usar máscaras cada vez mais eficientes na filtração do ar. Além disso, uma pesquisa publicada no The New England Journal of Medicine  apontou que o uso de máscaras também reduz os sintomas de quem eventualmente se contamina pela Covid-19. 

Porém, não basta usar a máscara. Mais do que tudo é preciso utilizá-la de forma correta e feita de uma de bom material. O mais importante é que ela esteja bem vedada, cobrindo nariz a boca. Máscaras feitas de tricô ou de só uma camada não são recomendadas por serem muito finas e deixarem as gotículas passarem. "Como aerossóis são partículas bem pequenas, as máscaras cirúrgicas não seriam as melhores, principalmente quando se está em ambientes fechados", explica César Carranza, infectologista do Hospital Anchieta. O mais indicado no momento é o uso das máscaras PFF2, também conhecidas como N95. Este tipo de máscara permite uma filtração de até 94% do ar, segundo a legislação brasileira. De acordo com um estudo publicado na revista Nature,os respiradores N95 diminuem em até seis vezes as emissões de aerossóis no ar.

Segundo o fundador e diretor executivo do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP), José Branco, esse tipo de máscara é indicado para profissionais de saúde e para as pessoas que estejam em situação mais exposta. “Ela gera uma proteção melhor porque se encaixa melhor e tem um filtro por dentro. Por isso ela deve ser usada em situação de maior risco, como ambientes hospitalares, transporte público e em aglomerações”, recomenda. Porém não basta só usar uma máscara mais eficiente, é importante usá-la de forma correta. "Após colocar a máscara e ajustar no rosto, faça o teste soprando ou inspirando o ar. O ar só pode penetrar através da máscara, não deve haver entrada ou saída de ar pelas laterais", explica o infectologista do Exame Imagem e Laboratório, Dasa Alberto Chebabo. 

 (Foto: Correio Braziliense)
Foto: Correio Braziliense


Os aeroportos também passaram a exigir o modelo em março deste ano. Agora só são permitidas para viagens de avião máscaras N95 e PFF2 sem válvula; máscaras de uso não profissional com pelo menos duas camadas e máscaras cirúrgicas. De acordo com o estudo da Nature, além dos respiradores as máscaras cirúrgicas também têm uma alta eficiência. O único problema delas é que muitas vezes elas não se ajustam adequadamente ao rosto. Por isso, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) emitiu uma recomendação, em fevereiro deste ano, de usar uma máscara de pano por cima da cirúrgica. 

Além da eficácia das máscaras, o infectologista José Branco ressalta as outras medias que devem ser tomadas. "O que a gente não pode esquecer é que não é só a máscara, tem que manter o distanciamento social e os hábitos de higiene. É inaceitável 3600 mortes por dia, não tem justificativa. Muita gente não deveria morrer", afirma.

 (Foto: Correio Braziliense)
Foto: Correio Braziliense


Reutilização de máscaras N95
Devido à grande procura por este modelo de máscara, tem sido cada vez mais difícil encontrá-las no mercado. Por isso, um grupo de amigos criou um site com explicações sobre o uso correto dela e onde encontrá-las. No PFF2 para Todos, é possível encontrar locais em todo o país que têm o modelo disponível. 

O preço dessas máscaras também tem ficado cada dia mais caro. Por isso, segundo José Branco, os empresários deveriam fornecê-las aos trabalhadores que precisam se descolar de transporte público. “Teve um aumento expressivo. Para os vulneráveis, que são as pessoas que precisam de transporte público, essa máscara ficou inviável. A classe média deveria fornecê-la para seus funcionários”, argumenta.

A escassez do produto também fez surgir novas recomendações em relação à reutilização dela. Estudos mostraram que ela pode ser reutilizada. Porém, elas não podem ser lavadas e nem borrifadas com álcool, segundo estudo da American Chemical Society. Por isso, o correto é, após usá-la, deixá-la descansando por alguns dias em local seco e arejado. Ela deve parar de ser usada quando não estiver com a aparência de suja ou não estiver mais vedando bem. "Ela pode ser reaproveitada se estiver intacta, sem amassados ou rasgos e com os elásticos mantendo a pressão adequada", explica Dasa Alberto Chebabo. 

Segundo o infectologista do Hospital Anchieta César Carranza, essas máscaras podem ser reutilizadas de cinco a 10 vezes. "Os fabricantes indicam que elas devem ser de uso único, mas estudos têm demostrado que elas mantêm sua eficácia por aproximadamente de cinco a 10 usos. Depois disso ela perde a capacidade de filtragem devido à quantidade de partículas que ficam retidas. Se ela molhar também fica inutilizada", ressalta. 

 (Foto: Correio Braziliense)
Foto: Correio Braziliense


O alerta para as máscaras falsas
As máscaras N95 podem ser encontradas, principalmente, em farmácias e lojas de materiais de construção. Mas é preciso ficar atento para não adquirir um material falso. É sempre importante conferir se ela vem com o selo do Inmetro. Além disso, máscaras N95 legítimas não prendem na orelha e sim atrás da cabeça, é esse um dos motivos dela fornecer maior proteção. 

 (Foto: Correio Braziliense)
Foto: Correio Braziliense

TAGS: mascara | pandemia | covid |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Cuba inicia vacinação contra a Covid-19 com imunizante próprio
Datafolha: Lula venceria Bolsonaro nas eleições de 2022
Manhã na Clube - Entrevista com Humberto Costa e Thiago do Vale da Apac
Air France e Airbus serão julgadas pelo voo 447 Rio-Paris
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco