VARÍOLA DO MACACO

OMS decide se varíola do macaco requer nível de alerta máximo

Por: AFP

Publicado em: 21/07/2022 19:27

 (Foto: Freya KAULBARS / RKI Robert Koch Institute / AFP)
Foto: Freya KAULBARS / RKI Robert Koch Institute / AFP
Especialistas em varíola do macaco avaliaram, nesta quinta-feira (21), se a Organização Mundial da Saúde (OMS) deve ou não declarar nível máximo de alerta para a doença, diante do aumento de casos.

Desde o início de maio, foi detectado um aumento incomum de infectados fora dos países da África central e ocidental, onde o vírus é endêmico, espalhando-se por todo o mundo, em especial na Europa.

Na primeira reunião, em 23 de junho, a maioria dos especialistas do comitê de emergência da OMS recomendou ao diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus, não decretar emergência de saúde pública de alcance internacional.

Nesta quinta, o comitê analisou os índices epidemiológicos, depois do registro nas últimas semanas de mais de 15.300 casos em 70 países, segundo dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a agência de saúde pública dos Estados Unidos.

Não há, porém, um calendário preciso para que o comitê publique os resultados do encontro de hoje.

"Independentemente da recomendação do comitê, a OMS continuará fazendo todo o possível para conter a varíola do macaco e salvar vidas", afirmou Tedros em coletiva de imprensa na quarta-feira.

Detectada pela primeira vez em humanos em 1970, a varíola do macaco é menos perigosa e contagiosa do que a varíola, que foi erradicada em 1980.

"Plena confiança" 

Até 18 de julho, o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (CEDC) registrou 7.896 infecções pelo vírus da varíola do macaco. A Espanha é o país mais afetado, com 2.835 casos, seguido da Alemanha (1.924), França (912), Holanda (656) e Portugal (515).

De acordo com um estudo do New England Journal of Medicine, realizado com 528 pessoas em 16 países - o mais amplo até agora -, 95% dos casos tiveram infecção por atividade sexual.

A pesquisa também aponta que 98% dos infectados são homens homossexuais ou bissexuais, e cerca de um terço havia mantido relações sexuais em festas ou saunas no mês anterior.

A OMS trabalha em estreita colaboração com a sociedade civil e as comunidades LGBTQ+ para facilitar a difusão de informações sobre a doença, de olho sobretudo na organização de festivais e paradas do orgulho no verão do hemisfério norte.

"São importantes celebrações identitárias: é muito importante que esses locais, esses eventos e atividades compartilhem informações para que as pessoas se protejam", disse na quarta o chefe de emergências da organização, Michael Ryan.

"A comunidade que hoje está afetada é uma das mais comprometidas, poderosas e responsáveis que temos, que já trabalhou duro por anos para controlar um vírus ainda mais mortal (o HIV)", portanto, tem a "plena confiança" da OMS, ressaltou Ryan.

Vacinas escassas 

A agência de saúde trabalha em paralelo com os Estados-membros e especialistas para avançar na pesquisa e no desenvolvimento em torno do vírus.

"Embora vejamos uma tendência de queda em alguns países, outros estão enfrentando um aumento e seis países registraram seus primeiros casos na semana passada", afirmou Tedros.

"Alguns países têm menos acesso a diagnósticos e vacinas, o que dificulta o registro e a interrupção dos casos" quando os estoques de vacinas estão baixos, acrescentou.

A empresa dinamarquesa Bavarian Nordic, o único laboratório que produz uma vacina autorizada contra a varíola do macaco, informou na terça-feira que recebeu um pedido de 1,5 milhão de doses, a maioria para serem fornecidas em 2023, de um país europeu cujo nome não revelou, enquanto os Estados Unidos encomendaram 2,5 milhões de doses.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL

Covid-19: Brasil registra 7,9 mil casos e 120 mortes em 24 horas

15/08/2022 às 22h51

Brumadinho: CGU multa Vale em R$ 86 mi com base na Lei Anticorrupção

15/08/2022 às 22h35

Confira os resultados da Quina 5924 e Lotofácil 2599 desta segunda-feira

15/08/2022 às 20h23

Varíola dos macacos: calendário de vacinação deve sair nesta semana

15/08/2022 às 20h01

Episódios neonazistas no Brasil quase dobraram no Brasil, aponta estudo

15/08/2022 às 18h20

Governo compra 1 milhão de vacinas CoronaVac para crianças de 3 a 5 anos

15/08/2022 às 17h40

Juiz é acusado de assédio sexual dentro de fórum e nas redes sociais

15/08/2022 às 16h45

São Paulo marca leilão do Rodoanel Norte para janeiro de 2023

15/08/2022 às 16h30

Pai mata filho no Dia dos Pais em discussão por drogas

15/08/2022 às 11h44

Jardineiro é resgatado após seis dias isolado em ilha no Rio de Janeiro

15/08/2022 às 10h58

Termina hoje prazo para prefeituras fazerem cadastros no Bem-Taxista

15/08/2022 às 09h05

Policial que matou lutador Leandro Lo foi a boate e motel após o crime

14/08/2022 às 13h45

Monark defende quem consome pornografia infantil: 'Não sei se é criminoso'

14/08/2022 às 13h39

Dia dos Pais: separações e reencontros marcam refugiados no Brasil

14/08/2022 às 13h32

Dia dos Pais: entenda origem da data no Brasil e no mundo

14/08/2022 às 11h18

Paraguaia é presa com cocaína no Aeroporto de Foz do Iguaçu

13/08/2022 às 17h23

Idoso é suspeito de estuprar cadela na região Nordeste de BH

13/08/2022 às 15h20

Mulher é suspeita de esfaquear companheiro durante briga em Muriaé

13/08/2022 às 15h17