Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

FALTA DE MEDICAMENTOS

Ministério da Saúde expõe ações para combater falta de medicamentos

Publicado em: 22/07/2022 19:52

 (Foto: Reprodução/Pixabay)
Foto: Reprodução/Pixabay
O Ministério da Saúde explicou as medidas que está tomando para combater o desabastecimento de medicamentos em todo país. Em coletiva nesta sexta-feira (22), secretários do ministério e representantes do mercado farmacêutico ressaltaram a importância da colaboração entre municípios, estados e a União para combater o problema.

Daniel Pereira, secretário-executivo do Ministério, destacou que apenas uma pequena parte dos medicamentos e insumos é comprada de forma direta pelo MS, o que não diminui a atuação em outras frentes. “O Ministério sempre atuou de forma diligente desde a primeira notícia de risco de desabastecimento. O primeiro passo foi identificar as causas do problema. Para cada causa o MS vem coordenando suas ações”, disse Pereira.

Uma das queixas está atrelada aos medicamentos com preços não correspondentes ao praticado pelo mercado. Em junho, o MS instou a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), órgão responsável pela regulação de medicamentos no brasil, e foram liberados os preços 6 medicamentos, conforme a Resolução nº 7, de 1º de junho de 2022.

A pasta ainda regulou sobre a dificuldade com importação. Foi coordenada a liberação de custo de importação de 11 insumos ou medicamentos. A respeito de supostas práticas anticoncorrenciais, o governo se reuniu com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) para discutir práticas ruins de mercado.

Falta de medicamentos

Segundo os secretários, foram feitas várias reuniões com representantes de estados e municípios para entender as dificuldades mais urgentes.

A entidade concluiu que há falta de alguns insumos em diferentes regiões — desde medicamentos básicos aos de alto custo. À princípio, prefeitos e secretários de saúde estaduais, através do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) encaminharam uma lista de 20 medicamentos sob a queixa de preços impraticáveis.

A partir disso, o ministério pediu ao Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) as informações pertinentes para comparar e estipular a demanda correta. Assim, a lista passou de 20 a 80 medicamentos.

“O ministério está atuando de forma que o problema tem sido apresentado. Trabalhamos com equidade para atender a estados e municípios. Agora estudamos a forma mais rápida de atender a demanda nacional. Estamos abertos para ouvir todos. Seja para limitar os custos, seja para outros fatores estamos dispostos a ajudar”, afirmou Sandra de Castro, secretária de ciência, tecnologia, inovação e insumos estratégicos de saúde.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevistas com dra. Silvia Fontan, oncologista, e a advogada Géssica Araújo
Taiwan inicia testes militares e acusa Pequim de preparar invasão
Incêndio em terceiro tanque de petróleo no oeste de Cuba
Manhã na Clube: entrevistas com dr. Heitor Medeiros e André Navarrete (Innovation Meeting)
Grupo Diario de Pernambuco