CRIME

Cárcere privado: um mal espalhado por diversas regiões do Brasil

Publicado em: 31/07/2022 12:06

Somente neste ano, Disque 100 recebeu mais de 4,5 mil denúncias de cárcere privado no Brasil. Em 2021, foram 9.455 (Crédito: PMRJ/ reprodução)
Somente neste ano, Disque 100 recebeu mais de 4,5 mil denúncias de cárcere privado no Brasil. Em 2021, foram 9.455 (Crédito: PMRJ/ reprodução)

O caso da mulher que foi mantida por 17 anos em cárcere privado com os dois filhos, no Rio de Janeiro, chocou o país inteiro. Agora, as investigações podem detalhar os horrores que as vítimas viveram durante o tempo em que foram torturadas e impedidas de ter contato com o mundo externo. Mas o caso não é exceção. Somente neste ano, foram registradas no Brasil 4.506 denúncias de cárcere privado no Disque 100, segundo dados cadastrados no painel do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. O estado com maior número de casos é São Paulo (1.151), seguido por Rio de Janeiro (583) e Minas Gerais (456). De acordo com o painel, em 2021, foram 9.455 notificações dessa natureza.

 

Os resgatados do Rio de Janeiro foram levados para um hospital, devido aos ferimentos e a desnutrição severa. Eles ainda não têm previsão de alta. "Os três pacientes apresentam quadro de desidratação e desnutrição grave, porém já foram estabilizados e estão recebendo todos os cuidados clínicos necessários, além do acompanhamento dos serviços social e de saúde mental", informou a Secretaria Municipal de Saúde, por meio de nota.

 

O agressor é Luiz Antônio Santos Silva, marido e pai das vítimas, que está preso e deve responder por sequestro ou cárcere privado, agressão, maus-tratos e crime de tortura. O advogado criminalista Bruno de Oliveira Félix explica que, em caso de condenação, a situação possui diversos agravantes.

 

"Esse crime (cárcere), na forma simples, possui pena de reclusão de um a três anos. Contudo, pode ser de dois a cinco anos de reclusão quando a privação da liberdade perdura por mais de 15 dias, quando praticada com a finalidade sexual ou, ainda, se as vítimas forem pais, filhos, esposo ou convivente do criminosa", ressalta.

 

A mulher relatou à polícia que os três sofriam violência física e psicológica de forma permanente e que chegavam a ficar três dias sem comer. "A pena é de dois a oito anos de reclusão, caso a vítima sofra dano físico ou moral em razão do confinamento, o que quase sempre ocorre nesse tipo de crime. Além do crime de cárcere privado, é comum que outros ilícitos também sejam praticados contra a vítima, como o crime de tortura e maus tratos. Em relação ao crime de tortura qualificada, por exemplo, a pena é de quatro a 10 anos", explicou o criminalista.

 

No resgate, a vítima também contou que Luiz Antonio nunca permitiu que ela trabalhasse nem que os filhos frequentassem a escola. Entre os vizinhos, ele recebeu o apelido de DJ por colocar música alta para abafar os gritos de socorro vindos da casa. Os filhos têm 19 e 22 anos, mas possuem aparência infantil por causa da desnutrição.

 

Denúncia antiga

A Corregedoria-Geral da Polícia Civil do Rio informou que abriu um procedimento para investigar a atuação no caso, que já havia sido denunciado em 2020. A Polícia Civil e o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) confirmaram a existência de registro na 43ª Delegacia de Polícia, de Guaratiba, e encaminhamento à 36ª DP, de Santa Cruz. Segundo a corporação, desde então, o inquérito foi enviado três vezes ao MP para providências, sendo a última em maio deste ano.

 

O criminalista Edson Vieira Abdala criticou a negligência dos órgãos de segurança. "É um retrato da nossa sociedade atual, em que o individualismo metodológico passa a ser a regra e o desinteresse absoluto pelo próximo acaba orientando todo o tecido social. É impossível que os vizinhos, parentes e pessoas próximas não tenham tomado notícias desse caso", observou.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL

Paraguaia é presa com cocaína no Aeroporto de Foz do Iguaçu

13/08/2022 às 17h23

Idoso é suspeito de estuprar cadela na região Nordeste de BH

13/08/2022 às 15h20

Mulher é suspeita de esfaquear companheiro durante briga em Muriaé

13/08/2022 às 15h17

Mega-Sena deste sábado paga prêmio de R$ 27 milhões

13/08/2022 às 14h11

Policial que matou tesoureiro do PT já está em Complexo Médico Penal

13/08/2022 às 14h05

A maconha era transportada em direção a goiânia -

PRF apreende cerca de 400 kg maconha e skunk com caminhoneiro sem CNH

13/08/2022 às 13h00

Costa fluminense é corredor migratório de baleias-jubarte

13/08/2022 às 09h13

PF apreende quase 1 tonelada de maconha às margens do Rio Paraná

13/08/2022 às 09h10

Cerrado é o bioma mais atingido por focos de incêndios florestais em 2022

13/08/2022 às 09h00

Casos de violência contra mulheres no Rio e em BH chocam o país

13/08/2022 às 08h54

Mega-Sena deste sábado paga prêmio de R$ 27 milhões

13/08/2022 às 08h33

Confira os resultados da Quina 5922 e da Lotomania 2351 desta sexta

12/08/2022 às 21h18

Varíola do macaco: empresa brasiliense submete dois testes à Anvisa

12/08/2022 às 20h51

Brasil registra 247 mortes e 23,5 mil novos casos de Covid-19

12/08/2022 às 19h44

Recenseador do IBGE sofre injúria racial em Belo Horizonte

12/08/2022 às 19h03

Após ataque hacker, site de pesquisa de preços da ANP segue indisponível

12/08/2022 às 17h58

De acordo com plataforma de cupons de descontos on-line, país teve expansão de 22,2% no volume de itens comprados em 2022

Brasil é líder no crescimento de compras on-line, diz estudo

12/08/2022 às 17h47

Ação regulamentada em julho permite que os estados concedam benefícios aos condutores sem infrações nos últimos 12 meses

Cadastro de bons motoristas começa a valer em setembro no país, anuncia governo

12/08/2022 às 16h56