Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

AMAZONIA

Caso Dom e Bruno: suspeito se contradiz e fala em troca de tiros

Publicado em: 22/06/2022 11:26

 (Foto: PF/ divulgação )
Foto: PF/ divulgação
Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como "Pelado", se contradisse sobre quem teria disparado os tiros contra o indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips, durante reconstituição do caso. Os dois foram mortos em Atalaia do Norte, no oeste do Amazonas. A Polícia Federal divulgou, na noite desta terça-feira (21), os vídeos que mostram o relato de Amarildo, que confessou o crime. A reconstituição foi feita em 15 de junho. 

Durante a explicação, Amarildo negou que tenha participado do assassinato de Dom e Bruno e disse que só teria ajudado na ocultação dos corpos. Porém, em depoimento, ele tinha admitido participação na morte. Em determinado momento, ele diz que viu toda a cena de longe, depois admite que estava no barco com Jeferson da Silva Lima, o "Pelado da Dinha". 

Ele também relatou que houve troca de tiros entre Jeferson da Silva Lima, o "Pelado da Dinha", e Bruno. Os dois teriam tido uma discussão sobre a pesca irregular de pirarucu enquanto Bruno descia o rio Itacoaí de voadeira - uma lancha. Ele diz que Jeferson atitou pelas costas em Bruno e que ele não viu a hora em que a suposta pistola do indigenista caiu. 

Depois disso, a voadeira "desgovernada" teria entrado em uma área de galhos e ficado encalhada na terra, e foi então que Jeferson teria matado o jornalista Dom Phillips. Ele relata que os dois morreram na hora.

Ele diz que, depois do homicídio, eles teriam esperado Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como "Dos Santos", irmão de Amarildo, passar para que ele não visse o crime. Depois, teriam levado os corpos para o local onde foram achados os pertences do indigenista e do jornalista. Eles ainda chegaram a tentar queimar os restos mortais, mas não conseguiram. Por fim, afundaram o barco e foram embora. Amarildo mostrou, ainda, os locais onde teriam acontecido os tiros e onde os corpos foram escondidos. 

Confissão 
Amarildo confessou o crime um dia após o irmão dele, Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como "Dos Santos", ser preso suspeito de participar do crime. Além dos dois, está preso Jeferson da Silva Lima, o "Pelado da Dinha". Outras cinco pessoas estão sendo investigadas por suspeita de envolvimento no crime. 

Dom e Bruno sumiram em 5 de junho, durante uma viagem pelo Vale do Javari. De acordo com a perícia, ambos morreram baleados com munição de caça. Bruno recebeu três tiros, um na cabeça e dois no toráx, e Dom, um no tórax.  
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Grupo Diario de Pernambuco