Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

CRIMINOSO

Em prisão domiciliar, João de Deus pede registro para se casar com advogada

Publicado em: 04/05/2022 09:18

O homem responde por crimes sexuais contra dez mulheres. No entanto, ainda há 12 denúncias feitas pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), que envolvem 56 mulheres, que estão à espera de um julgamento (Foto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil)
O homem responde por crimes sexuais contra dez mulheres. No entanto, ainda há 12 denúncias feitas pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), que envolvem 56 mulheres, que estão à espera de um julgamento (Foto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil)
Em prisão domiciliar em Anápolis (GO), o médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, está prestes a dar um grande passo na vida amorosa: ele pediu para converter a união estável que tem com a advogada Lara Cristina Capatto em matrimônio. O cartório da cidade, que fica a 55 km de Goiânia (GO), informou que o pedido foi feito em 8 de abril e deve ser concluído nesta quarta-feira (4/5).

As informações são do portal g1. O homem responde por crimes sexuais contra dez mulheres. No entanto, ainda há 12 denúncias feitas pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), que envolvem 56 mulheres, que estão à espera de um julgamento.

Procurado pelo Correio, o advogado de João de Deus, Anderson Gualberto, disse que “a vida do meu cliente deve ser preservada" e que não tem “autorização para comentar o assunto”. No entanto, questionado pela redação se haveria cerimônia para o casamento, ele disse que não.

“De qualquer sorte, casar não é crime e nem atentar com as regras da prisão domiciliar que foram impostas”, acrescentou o advogado. A advogada Lara Cristina Capatto não foi localizada pela redação.

O ex-médium que era o líder espiritual da Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), conseguiu o direito de prisão domiciliar em 14 de setembro de 2021. O Tribunal da Justiça de Goiás (TJGO) acatou o argumento da defesa de que a idade avançada e as doenças crônicas de João de Deus dão o direito de cumprir a pena dos crimes sexuais em casa. O réu tem 80 anos.

João coleciona condenações e até o momento já acumula mais de 61 anos de prisão, entre as penas está uma de 44 anos de prisão por estupro e estupro de vulnerável contra quatro mulheres e outra de quatro anos em regime semiaberto por posse ilegal de arma de fogo.

As acusações contra o médium vieram à tona em dezembro de 2018 pelo programa Conversa com Bial, da TV Globo.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com Raquel Lyra (PSDB)
Casamento de Lula e Janja: celulares barrados na entrada
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Grupo Diario de Pernambuco