Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

INTERNET

Elon Musk: Satélites serviriam para levar internet a áreas remotas do Brasil

Publicado em: 20/05/2022 13:20

 (crédito: Reprodução/Instagram)
crédito: Reprodução/Instagram
O governo federal quer utilizar satélites de órbita baixa da empresa de Elon Musk, que está no Brasil, para levar internet para áreas rurais e lugares remotos, de acordo com o ministro das Comunicações, Fábio Faria. A tecnologia que o bilionário quer vender para o país deve ajudar no controle de incêndios e desmatamentos ilegais na floresta amazônica.

O projeto da Starlink, empresa de Musk, para operar satélites de órbita baixa no Brasil é um dos temas da reunião do empresário bilionário com o presidente Jair Bolsonaro (PL), nesta sexta-feira (20), em São Paulo. 

Faria se encontrou com Elon Musk em dezembro do ano passado para tratar do projeto, que resultou na nova rodada de negociação. A internet da Starlink, de acordo com informações da empresa, funciona enviando informações por meio do espaço, onde se desloca mais rapidamente do que em cabos de fibra óptica e tornando-a mais acessível a mais pessoas e locais.

Assinatura mensal
 
A Starlink nasceu em 2015 como um braço da SpaceX, de turismo espacial, e promete colocar 42 mil satélites em órbita baixa (entre 500 km e 2.000 km de altitude) para “vender” internet por uma assinatura mensal. A ideia de Musk é cobrir todo o planeta, incluindo regiões remotas e rurais — o que aumenta o potencial de inclusão e expansão de negócios.

Nas áreas remotas, o volume de satélites garantiria o funcionamento de uma rede, garantindo que não existam áreas sem cobertura conforme o globo terrestre se movimenta.

O principal objetivo da internet por satélite é levar conexão a um custo menor do que mover pesadas infraestruturas de cabeamento (como fibra ótica) e antenas para locais distantes de centros urbanos.

Nesse sentido, “conectar” a Amazônia, como quer o governo brasileiro, pode ficar mais fácil, já que esse mercado também encontra poucos competidores — rivais como Viasat, HughesNet e Project Kuiper (da varejista Amazon) estão no ramo. 

Velocidade
 
A Startlink promete o que chama de alta velocidade e baixa latência: entre 100 Mbps e 200 Mbps de rapidez na conectividade, com latência de 20 ms. Musk afirma que o serviço deve ficar melhor com o tempo, conforme mais satélites entram em órbita.

Indisponível no Brasil, o serviço da companhia está em operação em países da América do Norte, Europa e Oceania. As assinaturas saem por US$ 99, além de ser necessário desembolsar outros US$ 499 para a instalação do modem em casa. Não é possível saber o quanto seria cobrado no Brasil.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Nova presidente da Caixa toma posse e anuncia primeiras medidas
Manhã na Clube: entrevista com o ex-ministro e pré-candidato ao senado, Gilson Machado
Suspeito de ataque a tiros com seis mortos é detido nos EUA
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Grupo Diario de Pernambuco