Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

PANDEMIA

Goleiro Bruno recebeu parcelas do auxílio emergencial na pandemia

Publicado em: 26/04/2022 19:49

 (Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press
O goleiro e ex-Flamengo Bruno Fernandes recebeu R$ 3,9 mil do auxílio emergencial, criado pelo governo federal para auxiliar autônomos, trabalhadores informais, cadastrados no MEI e contribuintes do INSS durante a pandemia. Os valores foram concedidos entre junho de 2020 e maio de 2021 a Bruno, que está em regime semiaberto domiciliar após ter sido condenado pela participação na morte da modelo Eliza Samudio, em 2010.

Os repasses estão registrados no Portal da Transparência da União e foram analisados pelo jornal O Globo. O atleta cumpre a pena de 20 anos em casa, em São Pedro D’Aldeia (RJ), desde 2019 e, de acordo com as regras do regime domiciliar, deve ter uma ocupação.

À Justiça, ele disse ser comerciante. No entanto, em 2020, durante a pandemia, Bruno fez uma publicação nas redes sociais em que afirmava compor o time do Rio Branco Futebol Clube, do Acre.

Já em 2021, o goleiro anunciou aposentadoria e informou que pretendia se tornar um investidor na Bolsa de Valores. No fim do ano passado, desistiu do plano e voltou à ativa, desta vez como atleta do Iguaba Grande, time da Região dos Lagos. Em fevereiro deste ano, inaugurou uma loja de venda de açaí na cidade em que mora.

O auxílio a pessoas que cumpriam pena em regime semiaberto durante a pandemia era um direito garantido por decisão da Justiça Federal, desde que os solicitantes se encaixassem nos requisitos para receber o benefício.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com Dr. Roberto Galvão Filho, oftalmologista
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Grupo Diario de Pernambuco