Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

PANDEMIA

Covid: nenhuma criança ou adolescente morreu por conta da vacina, diz Saúde

Publicado em: 28/04/2022 15:30

 (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
O último boletim epidemiológico da Covid-19 divulgado pelo Ministério da Saúde apontou que nenhuma criança e adolescente entre 5 e 18 anos morreu por conta da vacina da Covid-19. O documento aponta que a pasta investigou 38 eventos adversos graves com desfecho de óbito notificados pelas vigilâncias municipais e estaduais. 

Nenhum deles, entretanto, tem relação com as vacinas. "Até o momento, não há registro de evento adverso pós-vacinação com desfecho óbito na faixa etária de cinco a menores de 18 anos com relação causal com as vacinas utilizadas confirmada", informa o boletim. 

Após a investigação dos 38 casos de óbitos, 23 foram classificados como eventos coincidentes ou inconsistentes; 13 foram encerrados como inclassificáveis pela ausência de dados na investigação; e 2 apresentaram dados conflitantes para estabelecer relação causal com a vacinação.

As vacinas utilizadas nessa faixa etária são o imunizante da Pfizer e a CoronaVac, ambos aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo o boletim, dos 38 óbitos investigados pela pasta, 36 estão relacionados à vacina da Pfizer. Os outros dois estão ligados à vacina do Butantan e da farmacêutica chinesa Sinovac.

Ministério da Saúde garante segurança das vacinas
 
O relatório aponta que, nesta faixa etária de 5 a 18 anos, foram registrados 3.463 casos de evento adverso pós-vacinação. A maioria, 87,9%, foi de eventos adversos não graves e 12,1% foram considerados eventos adversos graves. 

No boletim, o Ministério da Saúde reforça ainda que as vacinas utilizadas no Brasil "apresentam excelente perfil de risco benefício" e já geraram um "impacto extremamente positivo na saúde da população brasileira, com a redução expressiva dos casos, internações e óbitos pela doença".
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com a dra. Tamara Cristina, endocrinologista
Refugiados ucranianos no Brasil: mais de 10 mil quilômetros longe de casa
Manhã na Clube: entrevista com Miguel Coelho
Manhã na Clube: entrevista com dr. Antônio Manuel de Almeida Dias, presidente da CESPU Europa
Grupo Diario de Pernambuco