Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

OBRIGATÓRIO

Unesp torna obrigatória comprovação de vacinação contra covid-19

Publicado em: 08/01/2022 16:04

 (Foto: Divulgação/Ibilce)
Foto: Divulgação/Ibilce
A Universidade Estadual Paulista (Unesp) tornou obrigatória a comprovação do esquema vacinal completo contra covid-19. Segundo a instituição, a condição é indispensável para frequência nas unidades e nos câmpus.

Os estudantes de graduação e de pós-graduação, alunos de cursos de extensão universitária e dos colégios técnicos da Unesp serão obrigados a comprovar que foram vacinados nos respectivos sistemas que regulam o vínculo com a universidade. Servidores docentes e técnico-administrativos terão a mesma obrigatoriedade.

Em três portarias publicadas neste sábado (8) no Diário Oficial do Estado de São Paulo, a administração central da Unesp normatiza o assunto para todos os públicos que frequentam o ambiente universitário, incluindo pesquisadores colaboradores ou visitantes convidados, residentes médicos, pós-doutorandos e funcionários de serviços terceirizados.

A universidade está adotando a obrigatoriedade da imunização contra a covid-19 para a frequência em todas as 34 unidades e 24 câmpus universitários, incluindo os colégios técnicos mantidos em Bauru, Guaratinguetá e Jaboticabal.

“Respeitado o cronograma oficial de vacinação contra a covid-19, os estudantes deverão comprovar à Universidade esquema vacinal completo em um prazo de dez dias, a contar da publicação da portaria, medida que valerá também para os alunos ingressantes em 2022, que terão cinco dias após o deferimento da matrícula para a comprovação”, informou a Unesp, em nota.

Mesmo matriculado, até a apresentação do comprovante de imunização, o aluno não poderá frequentar atividades presenciais. Já os estudantes que estejam impossibilitados de receber a vacina contra a covid-19 por motivo de saúde terão que apresentar detalhes por meio da apresentação de um atestado médico que evidencie eventual contraindicação.

Na portaria, há ainda previsões de cancelamento de matrícula nas disciplinas em que o aluno estiver cursando e de perda da vaga na Unesp caso não ocorra a comprovação exigida nos prazos especificados.

“Todo esse processo será acompanhado por instâncias técnicas das unidades universitárias, tais como as Diretorias Técnicas Acadêmicas e as Seções Técnicas de Saúde, e da gestão central da Universidade, em especial a Coordenadoria de Saúde e Segurança do Trabalhador (CSST) da Pró-reitoria de Planejamento Estratégico e Gestão”, informou a Unesp.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Morre Olavo de Carvalho, considerado guru do bolsonarismo
Manhã na Clube: entrevistas com André de Paula (PSD), Eduardo Cavalcanti e Epitacio Rolim
OMS: é possível encerrar fase aguda da pandemia este ano
Manhã na Clube: entrevistas com Carlos Veras (PT), Frederico Menezes e Marlon Malassa
Grupo Diario de Pernambuco