Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

PANDEMIA

Sociedade de Imunizações repudia falas de Bolsonaro contra vacina em crianças

Publicado em: 07/01/2022 19:06

 (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) repudiou, em nota, nesta sexta-feira (7), as declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro, que voltou a se posicionar publicamente contra a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19.

“Ao deturpar informações apresentadas por renomados cientistas na audiência pública, menosprezar as sérias complicações da doença na população infantil — ignorando centenas de óbitos — e criar artifícios para adiar o início da vacinação, o presidente cria um desnecessário clima de medo, que pode motivar inúmeros pais ou responsáveis a não levarem suas crianças às salas de vacinação. Em outras palavras, o discurso pode causar hospitalizações, mortes e sofrimento evitáveis”, publicou, em nota, a SBIm.

Em uma lista de fatos, a instituição apontou declarações sobre a vacinação de crianças que contrariam as declarações dadas pelo chefe do Executivo, que chegou a dizer ontem que "desconhece o número de óbitos de crianças". De acordo com o próprio Ministério da Saúde, contudo, a Covid-19 esta entre as 10 principais causas de morte de crianças de 5 a 11 anos. Desde o início da pandemia, também segundo números da pasta, foram registrados, na faixa etária, 6.191 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (taxa de incidência de 30,1/100 mil habitantes) e 308 óbitos (taxa de incidência de 1,54/100 mil habitantes) por coronavírus.

Além disso, a SBIm declarou, que entre crianças e adolescentes, foram contabilizados 1.412 casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM), que causaram 85 mortes. A taxa de letalidade, de 6%, é cinco vezes superior à relatada nos Estados Unidos, por exemplo. Destacou também que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), assim como vários órgãos regulatórios de outros países, licenciou a vacina da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos após cuidadosa avaliação dos dados de eficácia e segurança do estudo clínico.

"Vacinação de crianças é segura"
A instituição alegou ainda que o próprio Ministério da Saúde entende que a vacinação desta faixa etária é recomendada e segura, razão pela qual já definiu a vacinação e adquiriu doses da formulação infantil. Pontuou também que diversas sociedades médicas brasileiras, baseadas em evidências científicas e nas experiências internacionais, se posicionaram a favor da vacinação de crianças.

“A Sociedade Brasileira de Imunizações entende que nenhuma morte de crianças é negligenciável. É inadmissível testemunhar crianças serem hospitalizadas e falecerem por doenças preveníveis por vacinas. A todos que estão com receio, transmitimos uma mensagem tranquilizadora. A vacinação de crianças entre 5 e 11 anos é segura, eficaz e salvará vidas da mesma forma que a vacinação de adultos e adolescentes vem salvando”, apelou, por fim, a instituição.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Bolsonaro cancela visita à Guiana devido à morte de sua mãe
Manhã na Clube: entrevista com Padre Arlindo
Ômicron começa a recuar nos Estados Unidos
Manhã na Clube: entrevista com Paulo Pimentel, advogado tributarista e professor da ITS EDU
Grupo Diario de Pernambuco