PANDEMIA

Queiroga promete reforço no número de testes para Covid-19 e influenza

Publicado em: 08/01/2022 11:01

 (Foto: Robson Valverde / SES-SC)
Foto: Robson Valverde / SES-SC
Com a explosão de casos de Covid-19 e influenza, prefeituras e secretarias de saúde lutam contra falta de estoque de testes para a detecção dos vírus das duas doenças. A dificuldade no Sistema Único de Saúde (SUS) fez com que o problema chegasse ao setor privado de medicina privada e de farmácias, pois quem procura pelos exames tem se queixado da dificuldades de agendamento e das poucas quantidades de kits para detecção da doença disponíveis.


Por causa disso, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reconheceu, ontem, a necessidade de aumentar a distribuição de testes para acompanhar o aumento de casos da Covid-19 e a expansão da variante ômicron. Mas frisou que a "responsabilidade não é só do governo", pois a distribuição dos exames depende da solicitação de estados e municípios.

Entre 27 de dezembro e 2 de janeiro, mais de 283,8 mil testagens foram feitas, número 50% superior ao de 20 a 26 de dezembro, de acordo com dados da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma). Nesse período, o volume de resultados positivos para covid pulou de 22,3 mil (11,8%) para 94,5 mil (33,3%).

Na última quinta-feira, o Ministério da Saúde se comprometeu com a distribuição aos municípios de mais de 6 milhões de testes contra a Covid-19 do tipo antígeno, de um total de 30 milhões previstos até o fim de janeiro. A promessa veio depois que o Consórcio Conectar, ligado à Frente Nacional de Prefeitos, acionou a pasta pedindo apoio na implementação de estruturas adequadas de testagem para o novo coronavírus para deter o contágio e a circulação de novas cepas.

"Os testes serão distribuídos a partir de segunda-feira, garantindo a identificação, isolamento e monitoramento de casos. São essas as medidas capazes de impedir o crescimento da taxa de transmissão", disse Gean Loureiro, prefeito de Florianópolis e presidente do Consórcio.


Descoordenação
Mas, para o infectologista Julival Ribeiro, desde o início da pandemia, faltou coordenação em relação ao combate à Covid-19, e isso se reflete até hoje. "A saúde é um dever do Estado e direito do cidadão brasileiro. Estamos indo para o terceiro ano de pandemia e ainda há questionamento se os testes têm que ser oferecidos pelo governo federal, pelo governo estadual ou pela prefeitura. O importante é uma união de forças para que tenhamos testes suficientes para testar, além da covid, a Influenza", disse.

Ribeiro reforçou a importância da testagem, nesse momento de alta contaminação e disseminação da ômicron, para a covid e a gripe. "Os sintomas são semelhantes, e só os testes poderão dizer com qual das duas doenças a pessoa está infectada. Além disso, a testagem para a covid também é de extrema importância para controlar a epidemiologia da doença", explicou.

A situação poderia ter sido evitada caso o país tivesse planejado a produção de testes em escala suficiente. É o que acredita o professor do curso de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Alcides Miranda. "Como não houve a iniciativa e investimento, passamos a depender de importações, insuficientes no setor público. O governo federal é o único ente federativo que possui recursos e meios para agilizar importação, logística e distribuição", observou.


Com o avanço da ômicron, a urgência da distribuição é ainda mais necessária. "A letalidade só não vai ser maior, como ocorreu no mesmo período no ano passado, porque houve grande esforço de estados e municípios em atingir uma cobertura vacinal razoável. No entanto, poderá haver sobrecarga de serviços assistenciais, inclusive pelo afastamento de muitos trabalhadores de saúde infectados", advertiu.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL

Paraguaia é presa com cocaína no Aeroporto de Foz do Iguaçu

13/08/2022 às 17h23

Idoso é suspeito de estuprar cadela na região Nordeste de BH

13/08/2022 às 15h20

Mulher é suspeita de esfaquear companheiro durante briga em Muriaé

13/08/2022 às 15h17

Mega-Sena deste sábado paga prêmio de R$ 27 milhões

13/08/2022 às 14h11

Policial que matou tesoureiro do PT já está em Complexo Médico Penal

13/08/2022 às 14h05

A maconha era transportada em direção a goiânia -

PRF apreende cerca de 400 kg maconha e skunk com caminhoneiro sem CNH

13/08/2022 às 13h00

Costa fluminense é corredor migratório de baleias-jubarte

13/08/2022 às 09h13

PF apreende quase 1 tonelada de maconha às margens do Rio Paraná

13/08/2022 às 09h10

Cerrado é o bioma mais atingido por focos de incêndios florestais em 2022

13/08/2022 às 09h00

Casos de violência contra mulheres no Rio e em BH chocam o país

13/08/2022 às 08h54

Mega-Sena deste sábado paga prêmio de R$ 27 milhões

13/08/2022 às 08h33

Confira os resultados da Quina 5922 e da Lotomania 2351 desta sexta

12/08/2022 às 21h18

Varíola do macaco: empresa brasiliense submete dois testes à Anvisa

12/08/2022 às 20h51

Brasil registra 247 mortes e 23,5 mil novos casos de Covid-19

12/08/2022 às 19h44

Recenseador do IBGE sofre injúria racial em Belo Horizonte

12/08/2022 às 19h03

Após ataque hacker, site de pesquisa de preços da ANP segue indisponível

12/08/2022 às 17h58

De acordo com plataforma de cupons de descontos on-line, país teve expansão de 22,2% no volume de itens comprados em 2022

Brasil é líder no crescimento de compras on-line, diz estudo

12/08/2022 às 17h47

Ação regulamentada em julho permite que os estados concedam benefícios aos condutores sem infrações nos últimos 12 meses

Cadastro de bons motoristas começa a valer em setembro no país, anuncia governo

12/08/2022 às 16h56