Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

COVID-19

Após surto de Covid, Ministro do Turismo admite rever normas para cruzeiros

Publicado em: 03/01/2022 19:07 | Atualizado em: 03/01/2022 19:20

 (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press

O ministro do Turismo, Gilson Machado, afirmou que o governo está reavaliando as regras para embarque de cruzeiros no país e que a variante Ômicron mudou o cenário para a continuidade da temporada de viagens nos navios. 

 

Nesta manhã, o ministro se reuniu com representantes dos ministérios que assinam a portaria com as normas para a temporada de 2021/2022. A portaria interministerial nº 658 foi assinada pelas pastas de Saúde, Justiça, Infraestrutura e Casa Civil, em 5 de outubro de 2021.

 

“Está tudo sendo feito dentro dos protocolos, mas ninguém estava contando com a ômicron. Estamos reavaliando a portaria, quando ela foi editada não existia a variante. E hoje já é sabido que a maior parte dessas pessoas podem estar com a doença, mas muitos são assintomáticos”, afirmou Machado, em entrevista à CNN Brasil.

 

O setor aguardava uma retomada em 2022, mas embarcações têm registrado aumento no número de casos de COVID-19. Por isso, na sexta-feira (31/12), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou ao Ministério da Saúde, a suspensão provisória da temporada de navios de cruzeiros no país.

 

O ministro Gilson Machado viajou para o Recife, para discutir o problema com autoridades dos municípios que são diretamente impactados pela atividade de cruzeiros, como Maceió e Salvador.

 

Suspensão das operações até 21 de janeiro

 

Na tarde desta segunda-feira (3/1), as companhias de cruzeiros decidiram suspender suas operações no Brasil até 21 de janeiro. De acordo com a Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (CLIA), os cruzeiros que estão em navegação vão finalizar seus roteiros conforme previsto. 

 

"A atual temporada, após o término da suspensão, poderá ser cancelada na íntegra se não houver adequação e alinhamento entre todas as partes envolvidas para possibilitar a continuidade da operação", afirmou, em nota, a entidade.

 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que uma decisão a respeito da recomendação da Anvisa está sendo tratada sob a coordenação do gabinete civil da Presidência da República, pelos ministérios da Saúde, da Infraestrutura e da Justiça.

 

"Nós tínhamos uma portaria que oferecia segurança para realização dos cruzeiros e previa situações como essa, de ter casos de COVID. Ali já tinha toda a normativa", afirmou o ministro. 

 

"Se as companhias de cruzeiro estão fazendo isso (a suspensão das atividades), naturalmente que estão observando o que está escrito na portaria e a segurança de quem contrata esses passeios", completou Queiroga.

 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Augusto Coutinho (Solidariedade) e o psicólogo Carol Costa Júnior
Morre Olavo de Carvalho, considerado guru do bolsonarismo
Manhã na Clube: entrevistas com André de Paula (PSD), Eduardo Cavalcanti e Epitacio Rolim
OMS: é possível encerrar fase aguda da pandemia este ano
Grupo Diario de Pernambuco