Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

FALTA DE VERBA

Hospital da UFRJ pode fechar um terço dos leitos até fim do ano

Publicado em: 16/11/2021 13:30

 (Reprodução/Pixabay)
Reprodução/Pixabay
O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, conhecido como Hospital do Fundão, administrado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pode fechar 110 dos 310 leitos de internação que têm hoje disponíveis para atender a população.

Segundo a direção-geral da unidade, 850 profissionais pagos com verba suplementar do Ministério da Saúde terão o contrato encerrado no dia 30 de dezembro. De acordo com o diretor-geral, Marcos Freire, sem eles o hospital não terá condições de manter os leitos abertos.

“Estamos mantendo os profissionais com o orçamento suplementar do Ministério da Saúde, destinado à demanda Covid-19, que serviu para contratar profissionais e assegurar os leitos de referência abertos no Rio de Janeiro”.

A direção-geral informou que tem articulado com as esferas federal, estadual e municipal para manter os contratos dos 850 profissionais. A reportagem da Agência Brasil entrou em contato com o Ministério da Saúde e com a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES) e aguarda posicionamento.

Inaugurado em 1978, depois de 28 anos de construção, paralisação das obras e retomadas, o hospital é hoje referência no tratamento de doenças de alta complexidade e um centro de excelência em ensino, pesquisa e extensão.

A unidade é vinculada ao Ministério da Educação e ao Sistema Único de Saúde (SUS) e atende apenas a partir do encaminhamento pela Central Estadual de Regulação.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT/PE), Almir Mattias e Renata Berenguer
Laboratório anuncia teste para diferenciar o coronavírus da gripe A e B
Manhã na Clube: entrevistas com Alberto Feitosa (PSC), Márcia Horowitz e Andreia Rodrigues
Justiça por Beatriz: pais organizam peregrinação de 720 km para cobrar solução de assassinato
Grupo Diario de Pernambuco