Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

VACINAÇÃO

Saúde conclui envio de primeiras doses para toda população adulta do país

Publicado em: 15/09/2021 14:10

 (crédito: Reprodução/Twitter
)
crédito: Reprodução/Twitter
O Ministério da Saúde concluiu, nesta quarta-feira (15), o envio de vacinas contra a Covid-19 para imunizar toda população adulta brasileira — estimada em 158 milhões — com, pelo menos, a primeira dose. Até o momento, 88% receberam a primeira dose.

Com o envio de mais 1,1 milhão de doses da vacina da Pfizer, hoje, aos estados brasileiros, o governo federal indica que já foram enviadas mais de 265 milhões de unidades de vacinas contra o novo coronavírus. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, acompanhou o envio das doses direto do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

Em pronunciamento, o ministro destacou que a campanha de vacinação contra a covid-19 é o "elo" que une saúde e economia. "Quem duvidava da campanha de vacinação do Brasil é porque não acredita no SUS; e se não acredita no SUS, não acredita na Constituição Federal”, afirmou.

Queiroga ainda destacou a participação do ex-ministro da Saúde general Eduardo Pazuello no processo de compra de vacinas. Além de Queiroga, estavam presentes no evento o ministro das Comunicações, Fábio Faria, o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, e também os secretários do Ministério da Saúde.

Dose de reforço
 
Com a conclusão do envio de todas as vacinas necessárias para imunizar os adultos brasileiros com a 1ª dose, o Ministério da Saúde começou a campanha para dose de reforço que será oferecida para idosos com mais de 70 anos e pessoas imunossuprimidas.

Apesar de indicar que a vacina da Pfizer deve ser utilizada preferencialmente como a dose de reforço, no vídeo da campanha da dose extra, exibido nesta quarta (15), a pasta diz serão oferecidas como dose de reforço todos os imunizantes disponíveis, até mesmo a CoronaVac, que antes não tinha sido relacionada como possível imunizante para esta finalidade. 

Além da aplicação da dose de reforço, nesta nova fase, o Ministério da Saúde prevê a redução do intervalo entre as doses da vacina da Pfizer, de 12 para 8 semanas. A medida estava prevista para ser aplicada com a vacina da AstraZeneca, que também tem intervalo de 12 semanas no momento, mas o desabastecimento do imunizante travou antecipação da segunda dose. 

Na terça-feira (14), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) voltou a enviar vacinas da AstraZeneca ao governo federal. Foram liberados 1,7 milhão de doses, e outras unidades ainda devem ser entregues nesta semana.  
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco