Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

MINAS GERAIS

Bandido tenta aplicar golpe de WhatsApp em policial e se dá mal

Publicado em: 02/09/2021 20:58

Sargento tira foto com arma e envia a golpista do WhatsApp como 'comprovante bancário' (Foto: Reprodução e Pixabay)
Sargento tira foto com arma e envia a golpista do WhatsApp como 'comprovante bancário' (Foto: Reprodução e Pixabay)
O sargento Max William, do 34º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), passou por uma situação inusitada em Belo Horizonte, na tarde desta quinta-feira (2), e, com bom humor, acabou colocando um bandido “pra correr”.

Um criminoso tentou aplicar o golpe da transferência de dinheiro se passando pelo irmão do militar no WhatsApp. Mas o que ele não esperava era o que viria de “comprovante” bancário.

Por troca de mensagem, o bandido tentou se passar pelo publicitário Harlem William, de 40 anos, e enviou mensagens para vários contatos da sua lista, informando que estaria usando um outro número de telefone.

A foto, porém, era a mesma do WhatsApp original de Harlem. Por azar, o golpista enviou mensagem ao seu irmão, que é policial militar. 

“Deixa eu te falar eu to com um probleminha aqui você consegue me ajuda” (sic), dizia a mensagem. “Eu tenho que mandar 870 reais pra uma mulher aqui e meu aplicativo não to conseguindo fazer” (sic), continuou o golpista. “Você consegue fazer pra mim até eu resolver aqui Minha internet esta ruin” (sic), pediu o bandido escrevendo sem pontuação e com erros de português. Em seguida, enviou os dados da conta.
Golpista se deu mal nesta tentativa (Foto: Reprodução)
Golpista se deu mal nesta tentativa (Foto: Reprodução)
O sargento Max William informou que faria a transferência via PIX e enviou o comprovante: sua foto fardado e apontando o seu revólver na direção da câmera do celular. Após a visualização da imagem, o bandido apagou os dados da conta bancária e o bloqueou no aplicativo. 

Harlem, que teve sua foto copiada para o golpe, não tem ideia de como o bandido pode ter conseguido seus contatos.

“Não faço a mínima ideia de como isso ocorreu. Porque copiar a foto do WhatsApp de alguém é fácil, mas conseguir os contatos da pessoa é difícil. Não sei se pode ser por logarmos em várias plataformas como, por exemplo, o WhatsApp Web, no computador do trabalho, mas eu não sei como pode ter acontecido”, contou o gerente comercial, que ainda brincou: “Eu acho que a crise está tão brava que ninguém deu dinheiro para o cara”. 

Polícia Militar alerta para novo golpe via WhatsApp
A Polícia Militar de Minas Gerais vem alertando em seus canais oficiais sobre mais uma prática de estelionato: trata-se da criação de um falso perfil de WhatsApp usado para pedir dinheiro a amigos e familiares da vítima.

A partir de um perfil pessoal ou empresarial falso, com a utilização de fotos e nomes encontrados em redes sociais, o criminoso entra em contato com amigos e familiares da vítima comunicando que seu número de WhatsApp mudou.

Após algumas trocas de mensagens, o criminoso pede uma transferência bancária. A ajuda financeira é solicitada com histórias como necessidade de pagamento a um fornecedor da empresa ou alguma necessidade pessoal, com a desculpa de já ter excedido o limite de transferências bancárias do dia, entre outras. 

Acreditando realmente que o criminoso é uma pessoa conhecida, a vítima efetua transferências para conta bancária de terceiros.

O criminoso não realiza nenhum tipo de clonagem ou solicita qualquer código enviado no telefone da vítima. Ele apenas utiliza um novo número com a foto de um conhecido ou familiar.

A Polícia Militar orienta:
  • Caso receba mensagem de algum conhecido dizendo que mudou de WhatsApp, ligue para o número que já tinha da pessoa e confirme a informação;
  • Se receber contato por telefonema ou mensagem de familiar pedindo ajuda, certifique-se de que é real. Tente entrar em contato com a pessoa ou converse com outros parentes antes de fazer qualquer depósito;
  • Não faça depósitos bancários e nem recargas de celulares para quem você não conhece;
  • Não poste muitos dados de sua vida pessoal, profissional e de relacionamento nas redes sociais. É nelas que os criminosos costumam pegar dados. Mantenha seu perfil privado.
  • Se tiver um familiar ou conhecido idoso, oriente a pessoa sobre os golpes mais comuns e como se prevenir deles.
  • Se for vítima, faça um registro na Polícia Militar com o máximo de informações.
  • Se você sabe quem está praticando golpes, denuncie pelo 190 ou 181.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco