Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

MARCO TEMPORAL

Mil indígenas vão permanecer acampados na Esplanada

Publicado em: 27/08/2021 19:54

 (Foto: Carl de Souza/AFP
)
Foto: Carl de Souza/AFP
Lideranças indígenas informaram, nesta sexta-feira (27), que cerca de mil pessoas de diferentes etnias vão permanecer acampadas na Esplanada dos Ministérios. Os povos estão em Brasília desde a última semana para acompanhar o julgamento, no Supremo Tribunal Federal (STF), sobre o marco temporal. A sessão na Corte será retomada no próximo dia 1º.

"Esse é o julgamento do século. A vida dos povos indígenas está nas mãos do STF. Vamos permanecer aqui para sensibilizar os juízes. Essa matéria nos coloca em uma situação de insegurança, semelhante aos dos povos que não têm as terras demarcadas", discursou, frente a dezenas de indígenas, a líder Sônia Guajajara.

Ao Correio, Sônia afirmou que o acampamento permanecerá no gramado próximo ao Teatro Nacional, a princípio, até o dia 1º. Os indígenas tentarão estender o prazo até o dia 2. Se não conseguirem, negociarão o espaço em frente à Funai para aguardar a Marcha das Mulheres Indígenas, que ocorrerá em 7 de setembro. "A marcha também é uma forma de pressionar contra o marco temporal", justificou.

Protesto
Na manhã desta sexta, os indígenas atearam fogo em um caixão de papelão na frente do Palácio do Planalto, com críticas ao presidente Jair Bolsonaro e palavras como "fora grileiros" e "marco temporal não". Ao todo, mais de seis mil indígenas, de 175 etnias, estiveram acampados em Brasília até esta sexta.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco