Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

AMAZÔNIA

Alertas de desmatamento na Amazônia batem recorde pelo quarto mês seguido

Publicado em: 09/07/2021 14:03

 (crédito: NELSON ALMEIDA/AFP)
crédito: NELSON ALMEIDA/AFP
De acordo com dados do sistema Deter, do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento na Amazônia atingiu, em junho, uma área de 1.061,9 km², o pior índice para esse mês desde o início da série histórica, em 2016. O número representa um aumento de 1,8% em relação a junho de 2020. 

Junho é o quarto mês consecutivo com recorde de devastação neste ano. Os primeiros seis meses de 2021 somam uma área desmatada de 3.609,6 km², um crescimento de 17% em relação ao primeiro semestre do ano passado.

De acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira, o Pará foi o estado com maior área desmatada em junho, com 438,4 km², o equivalente a 41% do total registrado na região durante o mês.

Na última terça-feira (6), o vice-presidente, Hamilton Mourão, afirmou que o objetivo do governo federal é reduzir em até 12% a taxa anual de desmatamento na região amazônica por meio da nova operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). “Vamos atuar em força neste mês de julho, de modo que a gente feche o ciclo com uma redução na faixa de 10%, 12%. O ponto focal é que todas as agências cooperem para que haja uma sinergia nesse negócio”, disse.

Para o Observatório do Clima, no entanto, a meta de chegar ao fim de julho com uma redução de cerca de mil km² de área devastada em relação ao ano de 2020 é "inaceitável". A organização aponta que o objetivo representa um aumento de 150% em relação à meta de 3.925 km² de desmatamento fixada em 2009 na lei da Política Nacional sobre Mudança Climática.

Também lembra que, entre 2009 e 2018, foi registrada média de 6,4 mil km² de desmatamento anual, e nos dois primeiros anos do governo Bolsonaro a média passou para 10,4 mil km².

Além disso, em nota, a entidade afirmou que não há controle do desmatamento. “O governo renunciou à obrigação de combater o crime ambiental. Além de discursos contra o Ibama e o ICMBio, Bolsonaro promoveu mudanças em normas e imobilizou a estrutura de fiscalização. Desde outubro de 2019, um artifício burocrático criado pelo governo trava a cobrança de multas ambientais em todo o país. Em 2020, as multas por crimes contra a flora nos nove estados da Amazônia despencaram 51% na comparação com 2018, último ano antes do início do regime Bolsonaro”, afirmou a organização.

Levantamento
 
O Deter é um levantamento rápido de alertas de evidências de alteração da cobertura florestal na Amazônia, feito pelo Inpe. O mecanismo foi desenvolvido como um sistema de alerta para dar suporte à fiscalização e controle de desmatamento e da degradação florestal realizadas pelo Ibama e demais órgãos ligados ao meio ambiente.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Bolsonaro investigado: Não aceitarei intimidação
Manhã na Clube: entrevistas com prefeito João Neto (PL), dra Tamires Sales e advogado Rômulo Saraiva
Manhã na Clube: entrevistas com Chico Kiko, Diego Pascaretta e Rômulo Saraiva
Domitila, artivista e recifense que está entre as selecionadas do Miss Alemanha 2021
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco