Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

FAKE NEWS

Leda Nagle se desculpa por fake news sobre plano de Lula para matar Bolsonaro

Publicado em: 19/04/2021 17:22

 (A jornalista Leda Nagle leu mensagem sobre um suposto "plano" de Lula para matar Bolsonaro. Foto: Reprodução/Instagram)
A jornalista Leda Nagle leu mensagem sobre um suposto "plano" de Lula para matar Bolsonaro. Foto: Reprodução/Instagram
A jornalista Leda Nagle pediu desculpas, nesta segunda-feira (19), por reproduzir, em uma transmissão ao vivo, fake news sobre um possível plano do ex-presidente Lula para matar Jair Bolsonaro. O vídeo da jornalista se espalhou e se tornou o assunto mais comentado do Twitter.

Em nota, Leda lamentou o ocorrido e informou que não houve tempo para verificar se a mensagem era verdadeira ou não.





A confusão começou no último sábado (17), em uma live para um grupo privado, na qual a jornalista leu uma denúncia atribuída ao diretor-geral da Polícia Federal, delegado Paulo Maiurino, que tratava do plano para assassinar Bolsonaro. Leda se baseou em um perfil falso do delegado, que já foi denunciado pela própria Polícia Federal.

"Partiu daqui em conjunto com Lula e outros a ideia de matar Bolsonaro, por enquanto não posso dizer muito, mas vocês saberão. Nos próximos dias, saberão de muita coisa", disse Leda durante a transmissão.

“Acreditem ou não, mas o STF quer acabar com o presidente. Porém, eles não irão conseguir por um motivo bem forte, mais da metade das cadeiras dos urubus de capa preta receberam propina e antes que caia meu perfil novamente vou dizer para vocês, a ideia de matar Bolsonaro”, leu a jornalista.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Air France e Airbus serão julgadas pelo voo 447 Rio-Paris
Manhã na Clube com Rhaldney Santos -  12/05
Anvisa recomenda suspender vacinação da AstraZeneca para grávidas
Anticorpos contra Covid-19 permanecem no sangue por pelo menos oito meses
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco