Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

PANDEMIA

Anvisa vetou importação da vacina Sputnik V com base em dados russos

Por: AFP

Publicado em: 29/04/2021 16:25 | Atualizado em: 29/04/2021 17:20

 (Foto: Jorge BERNAL / AFP)
Foto: Jorge BERNAL / AFP
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou nesta quinta-feira (29) que decidiu vetar a importação da vacina Sputnik V com base na informação enviada pelo próprio desenvolvedor russo, que ameaçou processar a agência por difamação.

"As informações sobre a presença de adenovírus replicante [uma versão viva do vírus] constam nos documentos entregues à Anvisa pelo desenvolvedor da vacina Sputnik V", disse o diretor-presidente da agência, Antônio Barra Torres.

Os criadores da Sputnik V anunciaram horas antes pelo Twitter a apresentação de uma ação judicial "por difamação contra a Anvisa por difundir informação falsa e incorreta".

"A Anvisa fez declarações incorretas e enganosas sem ter testado a vacina Sputnik V", destacaram os criadores do fármaco.

Barra Torres convocou, então, a imprensa para "refutar a grave acusação que impacta a confiança, a credibilidade da autoridade sanitária do Estado brasileiro". 

"A Anvisa foi acusada de mentir, de atuar de maneira antiética, e de produzir 'fake news' sobre a identificação do adenovírus replicante em documentos que tratam da vacina Sputnik V, objeto da decisão que não autorizou a importação excepcional da vacina para uso na nossa população", acrescentou.

"Além de outras questões relevantes que impediram autorizar a importação da vacina, posso citar entre elas a ausência de informação, de estudos que retratem efeitos sobre células germinativas", disse.

O colegiado de cinco diretores da Anvisa acolheu a documentação da área técnica do organismo, que identificou diversas "incertezas" em relação à segurança e eficácia do imunizante, que ainda não foi aprovado pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA), nem pela FDA (Agência Federal de Alimentos e Medicamentos) dos Estados Unidos.

A vacina, de vetor viral, está sendo usada em vários países além da Rússia, entre eles México, Argentina e Venezuela.

O pedido de importação da vacina russa foi feito por governadores do Nordeste, preocupados com a falta de imunizantes.

O Brasil, onde a pandemia já causou 400.000 mortes, iniciou sua campanha de vacinação contra a Covid com grande atraso. 

Até agora, usa a vacina chinesa CoronaVac, produzida em colaboração com o Instituto Butantan, e a sueco-britânica AstraZeneca - em conjunto com a Fundação Oswaldo Cruz. 

Os dois imunizantes, no entanto, sofrem de atrasos nas entregas.
TAGS: v | sputnik | anvisa | covid | pandemia |
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Equipamento desenvolvido pela UFPE elimina o coronavírus de ambientes de forma automatizada
ONU marca reunião para discutir a crise no Oriente Médio
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 14/05
Cuba inicia vacinação contra a Covid-19 com imunizante próprio
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco