Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Brasil

COVID-19

OMS pede integração no enfrentamento e deseja sorte a novo ministro

Publicado em: 22/03/2021 18:06

Em coletiva desta segunda-feira (22/3), a situação do Brasil no enfrentamento à pandemia da Covid-19 foi bastante discutida, em razão dos aumentos nas mortes, que dobrou nas últimas semanas. Em meio aos incrementos, país aguarda troca do ministro da Saúde
 (Foto: Christopher Black/OMS/AFP)
Em coletiva desta segunda-feira (22/3), a situação do Brasil no enfrentamento à pandemia da Covid-19 foi bastante discutida, em razão dos aumentos nas mortes, que dobrou nas últimas semanas. Em meio aos incrementos, país aguarda troca do ministro da Saúde (Foto: Christopher Black/OMS/AFP)
A Organização Mundial da Saúde (OMS) mostrou preocupação com a condução brasileira frente à pandemia da Covid-19. Registrando o dobro de mortes pela doença na comparação com o mês anterior, o Brasil vive o pior momento da crise de saúde, sem um ministro oficializado na pasta que lidera o enfrentamento. Quanto ao anunciado, mas não oficializado, chefe da Saúde, Marcelo Queiroga, o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse estar "ansioso para trabalhar de perto%u201D e destacou que a situação atual %u201Cprecisa ser levado a sério".

A fala ocorreu durante coletiva de imprensa da OMS, nesta segunda-feira (22/3). Tedros chamou atenção para o drástico descontrole da pandemia no país. "A situação do Brasil é muito preocupante e nos assusta que o número de mortes no último mês dobrou", disse.

Para conseguir lidar com o atual cenário, a vice-diretora da OMS e especialista em distribuição de medicamentos e vacinas do órgão, Mariângela Simão, ressaltou a necessidade de um olhar voltado para a ciência e alinhado entre União, estados e municípios. "As políticas de saúde precisam ser baseadas em evidência científica, e que sejam alinhadas entre as três esferas de governo", expôs, desejando a Queiroga "muita competência e firmeza na condução do enorme desafio".

Ciente do iminente desabastecimento de oxigênio hospitalar e medicamentos para intubação, o diretor de emergências da organização, Michael Ryan, ponderou que o Brasil tem expertise em saúde universal e capacidade de liderança. "Não temos a presunção de dizer aos ministros o que fazer, mas é preciso trabalhar com os estados, usando a capacidade, sabedoria e entusiasmo", afirmou, desejando sorte ao novo ministro.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
A Justiça está realmente cuidando das crianças no centro de disputas familiares?
Cacique Raoni pede ao presidente dos EUA que ignore Jair Bolsonaro
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 16/04
Carta aberta pede quebra de patentes de vacinas de Covid-19
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco